Omar Bin Laden, filho mais velho do ex-chefão da Al-Qaeda, exibe quadros na Normandia

Veia artística surgiu durante o confinamento da Covid-19; pintura ajuda a equilibrar os sintomas do distúrbio psicológico bipolar

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2022 19h10 - Atualizado em 02/07/2022 19h18
Reprodução pintura de Omar Bin laden Telas de OBL remetem ao passado do pintor

O saudita Omar Bind Laden, de 41, filho mais velho do ex-chefe da Al-Qaeda, vem ganhando destaque pelas artes plásticas. Atualmente, exibe 30 telas em uma feira de antiguidades na Normandia, na França, onde vive há seis anos. As obras fazem um mergulho nas paisagens e elementos que fizeram parte da dua infância tumultuada. Ele morou na Arábia Saudita durante os primeiros anos de vida, mas na adolescência mudou com a família para o Sudão e depois para o Afeganistão. O pai dele, Osama Bin Laden, foi o terrorista mais procurado do mundo, tido como o responsável pelos ataques e destruição das Torres Gêmeas, de Nova York, nos EUA, em 11 de setembro de 2001. Passados dez anos do atentado, cassado insistentemente pelos americanos, foi morto em casa, no Paquistão. Nas pinturas do filho, o vermelho-sangue é cor recorrente. As dunas do deserto e os camelos são elementos que surgem com traços naif. OBL, como costuma assinar nas telas, descobriu sua veia artística mais recentemente, durante o confinamento provocado pela Covid. Laden sofre de distúrbio bipolar e a pintura, que  é uma forma de terapia, está se transformando em uma profissão.