Kompany vê Bélgica competitiva mesmo quando “ótima geração” acabar

  • Por EFE
  • 11/07/2018 08h48
TOLGA BOZOGLU/EFE"As gerações vêm e vão. Continuará havendo oportunidades para que o futebol belga continue indo bem no futuro", disse o defensor do Manchester City

Após a derrota para a França por 1 a 0 nas semifinais da Copa do Mundo, a principal pergunta feita em relação à seleção belga é o futuro de sua “ótima geração”, porque alguns de seus integrantes já passaram dos 30 anos e talvez tenham disputado o torneio pela última vez.

Um dos “trintões” dos Diabos Vermelhos é o zagueiro Vincent Kompany, que não escondeu a decepção com a eliminação antes da final, mas considera que o trabalho no futebol do país vem sendo bem feito.

“As gerações vêm e vão. Continuará havendo oportunidades para que o futebol belga continue indo bem no futuro”, disse o defensor do Manchester City à Agência Efe após o jogo desta terça no estádio Petrowsky, em São Petersburgo.

“É um momento duro, vamos precisar de tempo para nos recuperarmos. O mais duro de tudo isso é que houve pouca diferença entre as equipes. A França venceu e merece os parabéns, mas houve muito equilíbrio, o que é decepcionante”, acrescentou.

No único gol do jogo, o zagueiro francês Samuel Umtiti apareceu livre na primeira trave para cabecear após cobrança de escanteio. O também zagueiro Toby Alderweireld e o volante Marouanne Fellaini foram apontados como culpados por não terem dado combate ao defensor do Barcelona, mas Kompany evitou uma caça às bruxas. “Ele pulou e fez o gol, é o que lembro”, limitou-se a dizer.

A participação da Bélgica nesta Copa ainda não acabou. O time voltará a campo em São Petersburgo no próximo sábado, contra quem perder no duelo entre Inglaterra e Croácia, na luta por um inédito terceiro lugar.

Acompanhe a cobertura completa da Copa do Mundo pela Jovem Pan