Carille pede desculpas por ter generalizado em críticas contra imprensa

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2018 12h10 - Atualizado em 22/05/2018 16h35
Agência Corinthians Futebol Corinthians Fábio Carille Carille deu o caso como encerrado a partir de agora

Em um gesto de humildade, o técnico Fábio Carille, do Corinthians, pediu desculpas por causa de uma polêmica que levantou no último domingo (20). Ele tinha afirmado que a maioria da imprensa mentiu recentemente sobre uma possível proposta do Al-Hilal, da Arábia Saudita. Agora o corintiano afirma que não devia ter generalizado.

Na semana passada surgiu a informação de que o Al-Hilal cogita fazer uma proposta milionária para tirar Carille do Corinthians. Isso gerou diversos desdobramentos e boatos, que incomodaram o treinador.

“Li, sim, mentiras a meu respeito. Uma parte da imprensa errou, sim, nesta última semana. Não foi a maioria, porém. Então, exagerei ao generalizar em meu comentário. Por isso, peço desculpas”, afirmou Carille em nota oficial divulgada pela assessoria de imprensa dele.

Por fim, Carille disse que viu uma nota oficial de repúdio da Associação de cronistas esportistas do Estado de São Paulo (Aceesp) e deu o caso como encerrado.

Veja a nota oficial completa:

“No último domingo, concedi entrevista coletiva após o empate com o Sport, em Recife, e expus alguns pontos que haviam me incomodado com relação à postura da imprensa ao noticiar uma possível proposta do Al-Hilal, da Arábia Saudita, pelo meu trabalho. 

Na coletiva, eu disse que ‘grande parte da imprensa mente’. Li, sim, mentiras a meu respeito. Uma parte da imprensa errou, sim, nesta última semana. Não foi a maioria, porém. Então, exagerei ao generalizar em meu comentário. Por isso, peço desculpas. 

Recebi a nota de repúdio emitida pela Aceesp e respeito as colocações da entidade. Sempre respeitei o trabalho da imprensa e fiz questão de tratar os jornalistas da melhor forma possível. Como já me manifestei com relação aos meus incômodos neste caso, e os jornalistas, por meio de sua associação, fizeram o mesmo, encaro essa questão como encerrada”.