Em jogo fraco, Corinthians e Palmeiras ficam no 0 a 0 na final do Paulistão

Primeira partida da decisão não empolga; segunda partida acontece no próximo sábado

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2020 23h56 - Atualizado em 05/08/2020 23h59
Rodrigo Coca/Agência CorinthiansNo primeiro tempo, Rony e Carlos Augusto protagonizaram uma disputa interessante pela faixa lateral do campo

O torcedor que esperava um jogo aberto e ofensivo entre Corinthians e Palmeiras se decepcionou. Nos primeiros 90 minutos da decisão do Campeonato Paulista, os times fizeram uma partida truncada, com muitos erros de passe, faltas e reclamações, e não saíram do 0 a 0 na Arena Corinthians.  A primeira etapa foi mediana, com destaque para duas boas chances do Corinthians que pararam nas mãos do goleiro Weverton. O Palmeiras chegou pouco, na tentativa de tentar reduzir o espaço do adversário no meio de campo, acabou anulando seu setor de criação e atuando de forma apagada.

O Jogo – Corinthians começa melhor

Corinthians e Palmeiras fizeram um primeiro tempo de muita marcação e poucas chances claras de gol na Arena Corinthians. No meio de campo, as atuações de Ramires, Patrick de Paula e Gabriel Menino foram abaixo do esperado, e do lado corintiano, Ederson e Ramiro também não começaram a partida inspirados.

Enquanto os goleiros não trabalhavam, os times faziam um duelo trucado na intermediária, com bolas rifadas e muita marcação. O Verdão deu mais campo ao adversário, construiu uma linha alta de marcação, e pressionava a saída de bola do alvinergo. Aos 18 minutos, Fagner dominou na linha de fundo no que parecia uma chance promissora, colocando a bola entre as pernas de Vinã, mas antes de recuperar para o cruzamento, a bola sai de campo.

A primeira finalização perigosa foi do Corinthians, aos 29 minutos. Em uma enfiada de bola primorosa de Luan, Ramiro dominou dentro da área e com espaço, mas pegou de perna esquerda e Weverton ficou com a bola. Aos 31, de novo o Corinthians, de novo com Luan. O camisa 7 cruzou pela direita, e depois de Jô dividir com o zagueiro Luan, chutou para Weverton salvar o Verdão mais uma vez.

Os ânimos se exaltaram por volta dos 40 minutos – primeiro com Marcos Rocha, que se irritou após ir buscar a bola perto do banco de reservas do Corinthians, e Luxemburgo chegou a discutir com Araos. Pouco tempo depois, Rony fez falta em Vital, o corintiano se irritou e começou o empurra-empurra. O árbitro Raphael Klaus advertiu os dois com cartões amarelos.

A única chance do Palmeiras foi já nos acréscimos, aos 46 minutos, após cobrança de falta de lateral. Próximo da linha da grande área, Ramires chutou por cima do gol de Cássio.

Queda no segundo tempo

O Palmeiras voltou melhor dos vestiários, mas a intensidade não durou muito tempo. O jogo ficou muito mais travado, com muitas faltas e reclamações – ao todo, foram cinco cartões amarelos – e dos dois lados, muitos erros de passe. O duelo particular travado entre Rony e Carlos Augusto também se acalmou. O atacante foi pouco acionado, e quando foi, recebia rapidamente a marcação do corintiano.

Vanderlei Luxemburgo e Tiago Nunes lançaram mão das alterações para tentar abrir o placar. No Palmeiras, Ramires, Luiz Adriano, Gabriel Menino e Zé Rafael deram lugar a Bruno Henrique, William, Raphael Veiga e Gustavo Scarpa. No Corinthians, Luan, que não participou das jogadas na segunda etapa, foi substituído por Araos. Cantillo substituiu Éderson, que não conseguiu infiltrar para o chute de fora da área, sua principal arma nos últimos três jogos, e Léo Natel entrou no lugar de Mateus Vital.

As substituições não mudaram a toada truncada da partida. Em todo o segundo tempo, o Palmeiras finalizou apenas duas vezes, uma só no gol, e o Corinthians não chutou nenhuma vez. Nos minutos finais, o Palmeiras tentou pressionar, e conseguiu alguns espaços, mas o placar continuou imóvel, e a decisão do campeão paulista de 2020 ficou para sábado, às 16h30, no Allianz Parque.