Edílson Capetinha põe Neymar no nível de Ronaldo e Romário e lamenta desfalque: ‘Estrago é muito grande’

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2019 15h46
DivulgaçãoO último clube de Edílson Capetinha foi o Taboão da Serra, em 2016. Ele tinha 45 anos

Pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira, Edílson ficou extremamente chateado com o corte de Neymar às vésperas da Copa América. Em entrevista exclusiva a Flavio Prado que vai ao ar no próximo domingo, na Rádio Jovem Pan, o Capetinha rasgou elogios ao camisa 10 – comparando-o, inclusive, a Ronaldo e Romário – e não pestanejou ao dimensionar o desfalque do jogador no torneio que começa nesta sexta-feira.

“Eu acho que o estrago é muito grande”, disparou Edílson. “A gente, que foi jogador de futebol, fica muito comovido com o que aconteceu com o Neymar. Ele é um ídolo do nosso futebol, um cara que tem um talento brilhante. Houve uma polêmica na qual a gente não pode julgar ninguém, mas o que a gente fica sentido é de ter essa perda dentro de campo. Para nós, brasileiros, acompanhar o Neymar seria muito legal. Vamos perder muito tanto dentro quanto fora de campo, em termos de presença de torcedores nos estádios… A gente deixa de ter um ídolo, uma referência. Com o Neymar, a Seleção é uma. Sem o Neymar, é outra”, acrescentou.

Aposentado desde 2016, Edílson tem uma das carreiras mais vitoriosas da história do futebol brasileiro. Foi bicampeão nacional tanto por Palmeiras quanto por Corinthians, faturou o Mundial de Clubes pelo time alvinegro e também ergueu taças em clubes do quilate de Flamengo, Cruzeiro e Vitória. Sem falar, é claro, na conquista da Copa do Mundo de 2002, com a Seleção Brasileira comandada por Luiz Felipe Scolari.

Experiência ao lado de grandes jogadores, portanto, não lhe falta. E, mesmo assim, o agora ex-atacante de 48 anos não hesita em dizer que Neymar jogaria em todos os times nos quais ele atuou.

“Ele teria espaço, sim. E eu sou exigente pra caramba, hein?”, afirmou. “O Neymar já é um dos grandes jogadores da história do futebol brasileiro. Ele é fera! Um cara que, em um jogador só, reúne vários talentos. O Neymar dribla bem, tem velocidade, chuta bem, cabeceia bem, bate falta bem, bate pênalti bem, é muito habilidoso, tem um físico ótimo… Além disso, é vencedor. Foi campeão no Santos, no Barcelona, no PSG e na Seleção. É um cara completo. Para mim, está no nível de Romário, Rivaldo, Ronaldo… Dessa turma aí. Ele jogaria em qualquer Seleção que a gente armasse no Brasil”, finalizou.

A entrevista exclusiva de Edílson Capetinha a Flavio Prado vai ao ar no próximo domingo, no Seleção Jovem Pan. Fique ligado!