Em meio a investigação, CBF anuncia afastamento de José Maria Marin

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2015 23h11
***FOTO DE ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO,RJ, 28.06.2013 - FIFA-DIREÇÃO - José Maria Marin ex presidenta da CBF (D) e Joseph Blatter presidente da Fifa e outros dirigentes foram detidos nesta quarta-feira (27) pela polícia suíça em uma operação surpresa, realizada a pedido das autoridades dos Estados Unidos. Os cartolas são investigados pela justiça americana em um suposto esquema de corrupção. Na foto de arquivo José Maria Marin presidente da CBF durante coletiva de imprensa após a reunião do Comitê Organizador da Copa das Confederações da FIFA no Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, 28. (Foto: Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Folhapress) Folhapress Em prisão domiciliar nos EUA

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou, na noite desta quarta-feira (27), que o presidente José Maria Marin foi afastado do cargo na entidade até a definitiva conclusão do processo envolvendo o caso de corrupção na Fifa, delatado pelas autoridades dos Estados Unidos e da Suíça.

Segundo o comunicado divulgado em seu site oficial, a CBF também se compromete a “tornar pública a decisão, previamente tomada no início desta gestão, de reanalisar todos os contratos ainda vigentes e remanescentes de períodos anteriores”.

Nesta quarta, Marin foi um dos 14 indiciados por acusações referentes a um suposto esquema de corrupção que envolve dirigentes ligados à Fifa e empresas. As denúncias envolvem lavagem de dinheiro, extorsão e fraude eletrônica.

Mais cedo, nesta quarta, a Confederação Brasileira de Futebol havia divulgado uma nota frisando que a entidade “apoia integralmente toda e qualquer investigação”.

Confira, na íntegra, a nota na qual a CBF oficializa o afastamento de Marin:

“A CBF, no início desta noite, em reunião extraordinária, decide, em complementação à nota oficial veiculada na manhã de hoje:

1) Oferecer o adequado desdobramento à determinação da FIFA e afastar o Sr. José Maria Marin do seu quadro diretivo até a definitiva conclusão do processo;

2) Tornar pública a decisão, previamente tomada no início desta gestão, de reanalisar todos os contratos ainda vigentes e remanescentes de períodos anteriores.”