Ao contrário de Tite, técnico da Argentina vai fazer testes em clássico contra Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2018 08h28
Divulgação AFAScaloni tem evitado convocar muitos "medalhões"

Enquanto Tite já anunciou que usará força máxima da Seleção Brasileira para enfrentar a Argentina, o outro lado anunciou que fará exatamente o contrário. O técnico interino, Lionel Scaloni, usará o clássico para testar jogadores jovens e até sem experiência. A partida será em 16 de outubro, na Arábia Saudita.

Sem Lionel Messi e outros “medalhões”, como Gonzalo Higuaín, Ángel Di María e Sergio Agüero”, Scaloni dará chance a jogadores como Rodrigo de Paul, da Udinese, e Juan Foyth, do Tottenham.

O zagueiro do clube inglês foi elogiado pelo treinador em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira. Foyth, de 20 anos, não tem jogado com a camisa dos “Spurs”, mas Scaloni quer que ele ganhe experiência com a “Albiceleste”.

Scaloni também falou sobre a seleção brasileira, afirmando que Tite convocou uma “equipe potente” para o amistoso.

“Bom, vamos tentar fazer o melhor possível. Não tenho dúvida de que faremos isso e, certamente, teremos um bom jogo”, afirmou.

Antes de enfrentar o Brasil, a Argentina enfrentará a seleção do Iraque no dia 11 de outubro, também na Arábia Saudita.

Entre os rumores de uma renovação completa na equipe, Scaloni voltou a afirmar que não há portas fechadas para nenhum jogador.

“Sempre disse que o mais importante, além do resultado, é o funcionamento (do time). Quero ver como esses jogadores se apresentam diante desse tipo de adversários”, explicou.

Além disso, o técnico revelou que não conversou com Messi sobre planos para o futuro do atacante na seleção, como a hipótese de disputar a Copa América de 2019, que será realizada no Brasil.

“Só falamos desta convocação, não falamos do que pode ocorrer daqui um tempo. Sim, é verdade que conversamos muito sobre o presente, sobre como a equipe está jogando”, afirmou.

“A ideia é fazer, não sei se duas equipes diferentes, mas sim que a maioria jogue uma partida e a outra grande maioria jogue a seguinte”, indicou o técnico interino da Argentina.

Com EFE