Caso de racismo: Neymar e Álvaro González são absolvidos por falta de provas

Em comunicado, o Comitê Disciplinar da Liga Francesa justificou a decisão dizendo não haver “elementos de prova convincentes suficientes que permitam estabelecer a materialidade dos fatos das declarações de caráter discriminatório”

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2020 17h36 - Atualizado em 30/09/2020 17h36
EFE/EPA/Julien de RosaNeymar divide com Álvaro González durante partida entre PSG e Olympique Marseille

A Liga de Futebol Profissional (LFP), responsável pela organização do Campeonato Francês, alegou falta de provas que embasem a acusação de racismo feita pelo atacante Neymar contra o zagueiro Álvaro González e optou por não punir nenhum dos dois jogadores. Em comunicado, o Comitê Disciplinar da LFP justificou a decisão dizendo não haver “elementos de prova convincentes suficientes que permitam estabelecer a materialidade dos fatos das declarações de caráter discriminatório”.

Durante a vitória do Olympique de Marseille sobre o Paris Saint-Germain por 1 a 0, no último dia 13, no estádio Parque dos Príncipes, Neymar acertou um tapa em González e foi expulso. O atacante, que atua pela equipe parisiense, alegou ter sido chamado de “macaco filho da p…” pelo defensor espanhol, jogador do time visitante. O camisa 10 da Seleção Brasileira cumpriu suspensão de duas partidas, desfalcando o PSG nas vitórias sobre Metz, por 1 a 0, e Nice, por 3 a 0, e retornou no último domingo, no triunfo sobre o Stade Reims por 2 a 0.

*Com informações da Agência EFE