Neymar é expulso e denuncia racismo em derrota do PSG; assista

“Olha o racista; porque era um racista, por isso lhe peguei”, disparou o craque brasileiro, após agredir o zagueiro espanhol Álvaro González durante uma confusão que terminou com cinco expulsões

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2020 19h00 - Atualizado em 15/09/2020 10h49
Julien de Rosa/EFENeymar discute com o zagueiro espanhol Álvaro Gonzalez durante o jogo entre PSG e Olympique de Marseille

Esqueça o Neymar tranquilo e sorridente de semanas atrás. O craque brasileiro teve uma noite para ser esquecida neste domingo, 13, na primeira partida que disputou na temporada. Além de ver o PSG ser derrotado por 1 a 0 em um clássico quente contra o Olympique de Marseille, no Parque dos Príncipes, o camisa 10 foi expulso e deixou o campo furioso, denunciando racismo por parte do zagueiro espanhol Álvaro González. Tudo começou aos 37min do primeiro tempo, quando Neymar foi até o quarto árbitro e acusou o rival de racismo repetindo “Racismo no!”, em espanhol. A arbitragem não tomou nenhuma atitude.

No fim da partida, no entanto, ambos voltaram a discutir, e o brasileiro chamou Álvaro de racista novamente. Houve uma grande confusão depois da marcação de uma falta, e o craque do PSG foi expulso por dar um tapa na cabeça do rival. Ele deixou o campo indignado e disparou para o quarto árbitro: “olha o racista! Porque era um racista, por isso lhe peguei”. Assista aos videos abaixo:

Depois do jogo, Neymar desabafou no Twitter. “Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, disparou. “VAR pegar a minha ‘agressão’ é mole… Agora eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de ‘Mono hijo de puta’ (macaco filho da p…) Isso eu quero ver! E aí? Carretilha você me pune… Cascudo sou expulso… E eles? E aí?”, acrescentou.

Álvar Gonzalez, por sua vez, postou uma foto ao lado de colegas de equipe negros e não deixou de provocar Neymar. Nas redes sociais, o zagueiro espanhol escreveu: “não há lugar para racismo. Carreira limpa e com muitos colegas e amigos no dia a dia. Às vezes você tem que aprender a perder e assumir isso em campo. Incríveis 3 pontos hoje”.

Esta polêmica, no entanto, foi apenas a gota d’água de um clássico extremamente violento. Ao todo, o árbitro Jérôme Brisard distribuiu 17 cartões amarelos e cinco vermelhos. Todas as expulsões aconteceram no entrevero no minuto final do jogo. Depois de uma falta no meio-campo, Kurzawa e Amavi trocaram agressões e levaram o vermelho direto. Paredes e Benedetto receberam o segundo amarelo na confusão e também foram expulsos. O quinto vermelho foi para Neymar, pelo tapa que deu em Álvaro González. Durante o jogo, o defensor espanhol chegou a reclamar com a arbitragem sobre uma suposta cusparada de Di María, que também alegou ter sido ofendido pelo adversário.

Com a bola rolando, o PSG, que pôde contar com os principais jogadores pela primeira vez na temporada apenas hoje, criou as melhores chances da partida, mas parou em uma atuação inspirada do goleiro Mandada. Além disso, Neymar e Verratti desperdiçaram grandes oportunidades para os donos da casa no segundo tempo. O único gol do jogo foi anotado por Thauvin, aos 31min do primeiro tempo. Ele aproveitou cobrança de falta de Payet e finalizou de primeira com a canhota para decretar a segunda derrota do PSG na atual edição do Campeonato Francês – na estreia, na última quinta-feira, o time parisiense perdeu por 1 a 0 para o Lens.