Conmebol e Uefa anunciam ‘finalíssima’ entre Argentina e Itália; veja detalhes

A Albiceleste bateu o Brasil na final disputada no Maracanã, enquanto a ‘Azzurra’ derrotou a Inglaterra, em Wembley

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2021 15h52 - Atualizado em 15/12/2021 15h56
Reprodução/ Twitter argentina Argentina enfrentará a Itália em uma 'finalíssima'

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e a Uefa anunciaram, na tarde desta quarta-feira, 15, a data da “finalíssima” entre Argentina e Itália, atuais campeãs da Copa América e da Eurocopa, respectivamente. O confronto entre as vencedoras continentais, que abre uma parceria entre as federações, está marcado para 1º de junho de 2022, em Wembley, na cidade de Londres, no Reino Unido. A Albiceleste, vale lembrar, bateu o Brasil na final disputada no Maracanã, enquanto a “Azzurra” derrotou a Inglaterra, no próprio estádio Wembley.

“Estamos muito satisfeitos com os frutos que colhemos juntamente com a Uefa na relação entre as nossas instituições. Ao assinar esta renovação e expansão do nosso memorando de entendimento, estamos lançando as bases para que essa cooperação contínua cresça e se desenvolva ainda mais”, disse Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol. “Outros eventos esportivos de alto nível serão acrescentados à própria final entre Argentina e Itália no dia 1º de junho, em Londres, conforme a tradição do futebol sul-americano e europeu. A abertura de nosso escritório conjunto (na Inglaterra) nos permitirá enfrentar com agilidade e vigor novos projetos em benefício de milhões de torcedores em nossos continentes e no mundo”, acrescentou.

A ideia das entidades é também reunir o campeão da Copa Libertadores com o ganhador da Liga dos Campeões, como costuma ocorrer no Mundial de Clubes, mas desta vez sem as equipes passarem por uma semifinal com vencedores de outros continentes. “Estamos muito satisfeitos por desenvolver nosso excelente relacionamento com a Conmebol, e nosso forte desejo de agirmos juntos para o desenvolvimento do futebol e seus benefícios para a sociedade está refletido neste novo memorando de entendimento”, endossou Aleksander Ceferin, presidente da Uefa.