Fifa permitirá que jogadores estrangeiros de Rússia e Ucrânia assinem com outros clubes  

Atualmente, são 129 estrangeiros no Campeonato Russo, além de 95 na primeira divisão do futebol ucraniano

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2022 13h24 - Atualizado em 07/03/2022 13h29
Reprodução/Instagram/@davidneres David Neres, do Shakhtar Donetsk, foi procurado pela diretoria do São Paulo O brasileiro David Neres, do Shakhtar Donetsk, foi revelado pelo São Paulo

Por causa da guerra que está acontecendo no Leste Europeu, os jogadores estrangeiros que atuam em Rússia e Ucrânia poderão suspender os contratos com seus respectivos clubes e atuar por outros. A autorização da Fifa foi confirmada por Aleksandr Zotov, diretor da associação de jogadores russa, na tarde desta segunda-feira, 7. Atualmente, são 129 estrangeiros no Campeonato Russo, além de 95 na primeira divisão do futebol ucraniano. “Como Krasnodar fez agora. Ou como, por exemplo, quando um jogador de futebol sai por empréstimo. Contratos suspensos apenas até junho de 2022“, disse Zotov, em entrevista à emissora russa “RB Sport”.

O Campeonato Ucraniano está paralisado desde a semana passada, quando Vladimir Putin determinou a invasão ao país vizinho. Desde então, diversos jogadores brasileiros deixaram a Ucrânia, voltando ao Brasil ou migrando para outras nações europeias. Ao todo, 30 atletas do Brasil estavam atuando no futebol local antes do começo da guerra. Já a seleção e os clubes russos sofreram sanções de Fifa e Uefa, sendo excluídos das competições internacionais, entre elas a Copa do Mundo, a Liga dos Campeões e a Liga Europa. Apesar disso, a União Russa de Futebol (RFS, sigla em russo) anunciou na quinta-feira passada que vai recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS).