Uefa quer liberar a presença de público na Eurocopa: ‘Não haverá jogos para arquibancadas vazias’

Caso os municípios não consigam garantir a segurança do público, uma mudança ou redução na quantidade de sedes poderá ser levada em conta

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2021 18h02
Divulgação UEFATaça da Eurocopa 2020

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, anunciou nesta quarta-feira, 17, que as 12 cidades que receberão a Eurocopa deste ano terão que garantir a presença de torcedores nas arquibancadas em meio à pandemia da Covid-19. Caso os municípios não consigam garantir a segurança do público, uma mudança ou redução na quantidade de sedes poderá ser levada em conta. “A certeza é que não haverá jogos para arquibancadas vazias”, disse o dirigente esloveno à imprensa da Croácia, à qual informou que a decisão sobre possíveis mudanças no número de cidades-sede, se alguma não atender aos requisitos, será tomada em 20 de abril.

Ceferin opinou que o cenário ideal é que não haja mudanças e que os jogos aconteçam nas 12 cidades planejadas: Copenhague, Amsterdã, Baku, Bilbao, Bucareste, Budapeste, Dublin, Glasgow, São Petersburgo, Munique, Roma e Londres. “Mas se isso não for possível, então serão jogadas em dez ou 11 países, se uma ou mais cidades não puderem atender aos requisitos necessários”, detalhou. A Eurocopa estava marcada para a metade do ano passado, mas, devido à pandemia do novo coronavírus, a Uefa optou por adiar o principal campeonato europeu entre seleções em um ano. Assim, o torneio está agendado para acontecer entre 11 junho e 11 julho.