São Paulo supera Palmeiras, vence pela 1ª vez no Allianz e põe pressão em Luxemburgo

O Tricolor somava oito derrotas e um empate no estádio alviverde, mas, neste sábado, finalmente saiu de campo com um triunfo

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2020 20h57 - Atualizado em 10/10/2020 22h46
Mauro Horita/Estadão ConteúdoO São Paulo venceu o Palmeiras no Allianz Parque

Demorou, mas o São Paulo, enfim, venceu no Allianz Parque. Seis anos depois da inauguração do estádio alviverde, o time tricolor, que somava oito derrotas e um empate no local, ganhou pela primeira vez do Palmeiras dentro da nova casa do rival. Com gols de Reinaldo e Vitor Bueno, ambos no segundo tempo, a equipe comandada por Fernando Diniz superou o adversário por 2 a 0, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, e, de quebra, aumentou a pressão sobre Vanderlei Luxemburgo. O treinador viu o Verdão perder a segunda partida seguida na competição nacional e foi duramente criticado por mais um desempenho aquém do esperado do Palmeiras neste sábado, 10. O triunfo manteve o São Paulo na luta pelas primeiras posições na tabela, com 26 pontos e em terceiro lugar, sem perder de vista Atlético-MG e Flamengo. O Palmeiras, por sua vez, ficou quatro pontos atrás do rival, fora do G4, em quinto lugar, com 22.

O clássico começou com os dois times buscando pressionar na saída de bola. O São Paulo, um pouco mais acostumado ao estilo de Fernando Diniz, tinha mais facilidade na transição defesa para o ataque. O Palmeiras se complicava um pouco. E quase viu o rival abrir o placar em uma roubada de bola de Luan na entrada da área. Brenner finalizou para fora. A opção de Luxemburgo por congestionar o meio de campo com Patrick de Paula, Zé Rafael, Lucas Lima e Raphael Veiga fez o time perder um pouco de profundidade. As jogadas pelo lado do campo, tão importantes, se limitavam ao lado esquerdo, com Wesley. Muito pouco para incomodar Tiago Volpi.

O São Paulo teve mais uma chance com Igor Gomes, em cabeçada que assustou Jailson, mas depois o Palmeiras equilibrou o clássico. O primeiro chute (e único na etapa inicial) que fez Volpi trabalhar saiu do sempre calibrado pé esquerdo de Patrick de Paula. O problema é que, por causa da configuração escolhida por Luxemburgo, o time, quase sempre, insistia pela região central. A opção facilitava o trabalho de destruição da equipe de Fernando Diniz. Apesar da pouca emoção dos primeiros 45 minutos, os treinadores não trocaram peças no intervalo. Fernando Diniz, no entanto, fez uma mudança tática que fez o time abrir o placar. O São Paulo passou a jogar pelas laterais. Igor Vinícius recebeu passe de Daniel Alves e foi derrubado por Esteves na área: pênalti. Reinaldo cobrou com força, sem chances para Jailson.

Luxemburgo demorou apenas dois minutos para mexer na equipe após o gol. E foram três mudanças, todas no setor ofensivo: Gustavo Scarpa, Luiz Adriano e Gabriel Veron. O São Paulo, de imediato, recuou. Benner passou a ser o jogador mais adiantado na intermediária defensiva. O técnico do Palmeiras fez mais duas substituições e, logo depois, Luan se lesionou. Sem opção, o zagueiro foi fazer apenas número no ataque. Fernando Diniz colocou Toró e Vitor Bueno para matar o jogo no contra-ataque e encontrou o que buscava. Placar de 2 a 0 que encerrou o tabu no Allianz Parque e garantiu o time invicto contra os rivais no ano.

*Com informações do Estadão Conteúdo