Passado e presente mostram que El Salvador não será bom teste para Seleção Brasileira

  • Por Jovem Pan
  • 10/09/2018 14h00 - Atualizado em 10/09/2018 14h00
Twitter/ DivulgaçãoOscar Cerén fez 2 gols na vitória apertada sobre Montserrat

Muitas vezes é difícil entender por que a Seleção Brasileira faz alguns tipos de amistosos. É isso o que acontecerá nesta terça-feira (11), no jogo contra o El Salvador, às 21h30 (de Brasília). Não há motivo esportivo que justifique a realização dessa partida. Histórias do passado e resultados recentes deixam claro que não será um bom teste para a equipe de Tite.

O passado da seleção de El Salvador é quase insignificante. O país participou de apenas duas Copas do Mundo, em 1970 e 1982. Foram 6 derrotas em 6 jogos. E o fato mais marcante é extremamente negativo, pois o time sofreu a maior goleada da história do torneio. A Hungria venceu por 10 a 1!

A história recente de El Salvador também é ruim, tanto que a equipe está na 72ª posição no ranking da Fifa. Nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, a equipe não conseguiu sequer ir para a fase final, que tem 6 seleções. E na partida mais recente, contra Montserrat, uma pequena ilha do Caribe, os salvadorenhos só venceram com gol no final, por 2 a 1.

Contra um adversário tão limitado, cabe ao Brasil pelo menos fazer testes que sejam vantajosos para o futuro. Tite já anunciou que fará mudanças no time titular, então deve dar oportunidade para jovens, como Militão, Alex Sandro, Lucas Paquetá, Everton, Richarlison e outros. Mas pelo nível técnico de El Salvador, não vai ser possível tirar muitas conclusões sobre esses jogadores também.