Peres vê ‘briga desigual’, mas avisa: ‘O Santos tem tudo para conquistar o título brasileiro’

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2019 11h45
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC/DivulgaçãoJosé Carlos Peres é o atual presidente do Santos

Em 2018, foram R$ 218 milhões de faturamento – apenas o 11º maior dentre os 20 times que disputaram a elite nacional. Na atual temporada, por sua vez, o valor de mercado é de R$ 232 milhões, somente o oitavo da Série A. Ainda assim, o Santos, surpreendentemente, ocupa a liderança do Campeonato Brasileiro. Apenas 12 rodadas se passaram, é verdade, mas o desempenho dos comandados por Jorge Sampaoli e o calendário mais “vazio” em relação aos principais rivais colocam, hoje, a equipe alvinegra entre as fortes candidatas ao título nacional.

O pensamento é compartilhado não só por torcedores e analistas, mas também pelo próprio presidente do Santos. Em entrevista exclusiva ao comentarista Flavio Prado, da Rádio Jovem Pan, José Carlos Peres destacou que a questão financeira faz o clube da Baixada enfrentar uma “briga desigual” com os outros times do topo da tabela, mas demonstrou otimismo. Para o mandatário, o Santos “tem tudo” para conquistar o título brasileiro ao fim da temporada.

“É uma briga desigual às vezes…”, definiu Peres. “Mas, aí, você tem de usar a criatividade, o trabalho, dar apoio ao treinador. E a gente tem feito isso desde o início do ano. Mesmo nas desclassificações, demos apoio ao Sampaoli. E, agora, estamos tendo resultado. Eu acho que o Santos tem tudo para chegar ao fim do ano e conquistar esse título brasileiro. Doze rodadas é muito pouco, ainda… Corresponde a um terço do que vamos disputar, mas quem vai bem no primeiro turno tem uma gordura para queimar no segundo. E isso é importante”, acrescentou.

É impossível não relacionar o sucesso do Santos neste início de Brasileiro ao trabalho executado por Jorge Sampaoli. Corajoso, o treinador argentino tem feito a equipe alvinegra jogar ofensivamente tanto dentro quanto fora de casa e, não à toa, soma um incrível aproveitamento de 80,5% dos pontos – a única derrota, após 12 rodadas, foi justamente para o segundo colocado, Palmeiras, no Pacaembu.

A relação entre Peres e Sampaoli já sofreu alguns desgastes nestes oito meses de trabalho, é verdade, mas o presidente do Santos tem uma explicação. À Jovem Pan, o mandatário rasgou elogios ao treinador, mas o classificou como alguém “difícil de segurar”.

“O Sampaoli é especial”, afirmou Peres. “Ele é um trabalhador, um operário, e a gente tem de reconhecer essas qualidades. A gente sabe que ele treina de manhã, treina de tarde… É difícil segurar? Sim, porque ele quer ser campeão, quer reforços, e, às vezes, nós não temos orçamento. É aquilo que eu acabei de falar de ser difícil concorrer com os outros… A gente não tem a grana dos outros, então, é um pouquinho mais difícil para controlar. Mas, dentro do possível, a gente está fazendo tudo aquilo que ele sempre pede”, finalizou.

A entrevista exclusiva de José Carlos Peres vai ao ar, na íntegra, no próximo domingo, no Seleção Jovem Pan. Fique ligado!