Santos bate Olimpia por 3 a 2 e está nas oitavas da Libertadores

Sánchez, Marinho e Kaio Jorge marcaram para o alvinegro em jogo realizado no Paraguai

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 00h47
EFE/JORGE SAENZ POOLVitória garantiu classificação do Santos às oitavas da Libertadores

Em grande noite de João Paulo e Marinho, o Santos derrotou o Olímpia, por 3 a 2, de virada, nesta quinta-feira, em Assunção, no Paraguai, em jogo válido pela quinta rodada do Grupo G da Copa Libertadores. Com o resultado, o time da Vila Belmiro garantiu o primeiro lugar e a classificação para as oitavas de final. O alvinegro somou a quarta vitória, em cinco jogos, e chegou aos 13 pontos. O Olímpia fica com cinco e terá que torcer contra o Defensa Y Justicia, que soma seis.

O primeiro tempo foi bastante agitado, apesar do forte calor de 37ªC. Sem poder contar com a dupla de zaga titular – Lucas Veríssimo e Luan Peres cumpriram suspensão – Cuca escalou o time no esquema 3-4-3, com Jobson, Alex e Pará na zaga, e entrou em campo marcando a saída de bola paraguaia, como se estivesse na Vila Belmiro. O gol não demorou a sair. Madson foi derrubado na área por Recalde, Sánchez bateu com categoria e abriu o placar. A partir daí, diminuiu o ritmo e apresentou uma marcação mais frouxas nas imediações da área. O Olimpia aproveitou e virou o placar com dois gols de Recalde. O primeiro de cabeça, aos 21, e o segundo, aos 33, ao surgir livre mais uma vez dentro da área.

O Santos contou com a grande fase de Marinho. O atacante bateu uma falta pelo lado direito e a bola acabou passando por todo mundo, inclusive pelo goleiro Azcona: 2 a 2, aos 39 minutos. No segundo tempo, Cuca promoveu uma alteração tática. Cuca colocou o time no 4-3-3, com Pará, Madson, Alex e Felipe Jonathan na defesa. Jobson assumiu a cabeça de área. A mudança não deu muito resultado e o time continuou com uma marcação falha, que quase causou dois gols para o Olimpia, necessitando pela vitória, em apenas cinco minutos. Passado o início desequilibrado, o Santos ficou mais com a bola e deixou o Olimpia mais livre em seu campo. Aos 14, Marinho cruzou, a zaga paraguaia falhou feio e deixou Sánchez livre. O paraguaio tocou para Kaio Jorge, que mostrou frieza para driblar o goleiro e fazer 3 a 2.

Aos 20 minutos, o veterano grandalhão Roque Santa Cruz, de 39 anos, entrou para reforçar o ataque do Olimpia, enquanto o Santos perdeu Sánchez por uma lesão, substituído por Alison. A pressão paraguaia aumentou muito e João Paulo, em grande fase, fez linda defesa após bicicleta de Leguizamón, aos 24. O goleiro santista repetiu o feito em cabeçadas de Montenegro, aos 32, e Alcatraz, aos 35. Da forma com que buscou o ataque, o Olimpia deixou espaços para o Santos marcar o quarto gol e fechar a fatura. Soteldo foi a decepção, sempre muito participativo nos jogos, teve atuação apagada. De tanto pressionar, o Olimpia chegou ao terceiro gol novamente com Recalde, mas o meia estava adiantado, e o árbitro assinalou o impedimento. Antes do fim da partida, João Paulo ainda evitou o empate em chute de Montenegro, aos 49.

FICHA TÉCNICA

OLÍMPIA 2 X 3 SANTOS

OLÍMPIA – Azcona; Benítez (De La Cruz), Leguizamón, Alcaraz e Arias; Domingo, Rodrigo Rojas, Alejandro Silva (Montenegro) e Recalde (Otálvaro); Camacho (Roque Santa Cruz) e Pitta (Rojas). Técnico: Daniel Garnero.

SANTOS – João Paulo; Pará, Jobson (Ivonei) e Alex; Madson, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Alison) e Felipe Jonatan; Marinho, Kaio Jorge (Raniel) e Soteldo (Lucas Braga). Técnico: Cuca.

GOLS – Carlos Sánchez aos 14, Recalde aos 21 e 33, Marinho aos 39 do primeiro tempo. Kaio Jorge aos 14 do segundo tempo.

ÁRBITRO – Nestor Pitana (ARG).

CARTÕES AMARELOS – Recalde, Alex, Jobson, Azcona, Raniel e Leguizamón.

LOCAL – Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, Paraguai.