Técnico recorda final Santo André x Santos após 10 anos: ‘Com VAR, o resultado seria outro’

  • Por Pedro Sciola
  • 02/05/2020 05h00 - Atualizado em 02/05/2020 13h31
DivulgaçãoO Santos conquistou o título do Campeonato Paulista sobre o Santo André em 2010

A emocionante final do Campeonato Paulista de 2010 completa dez anos neste sábado (2). Na ocasião, o Santos André chegou a bater o Santos por 3 a 2, mas ficou sem o título porque precisava de uma vitória por dois ou mais gols de diferença. Uma década depois, Sérgio Soares, então treinador do Ramalhão, ainda lamenta o erro de arbitragem que poderia ter mudado a história do torneio.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan Online, o técnico recordou que o Santo André teve um gol mal anulado pela auxiliar Maria Eliza, que assinalou impedimento de Rodriguinho, ainda no primeiro tempo. No entendimento de Sérgio Soares, o lance não só tirou o título da equipe do ABC, como também prejudicou o andamento da sua carreira. [Assista aos melhores momentos do confronto no final do texto.]

“Nós fomos prejudicados, sim. Tivemos um gol anulado de forma legitima, o gol era legitimo. O gol mudaria tudo, nos daria o título. Eu imagino que o gol, uma conquista teria mudado o direcionamento da minha carreira. Ser campeão paulista contra um Santos, que, na minha opinião, era o melhor Santos de 2010 para cá, com certeza eu estaria alcançando um grande clube já naquele momento”, disse Sérgio, que deixou o cargo de treinador da Ferroviária no final de março.

“Não digo mágoa, mas o fato deles terem errado – e não digo só a Maria Elisa, mas o Sálvio (Spínola) também porque ele fez parte. E isso eu já disse para o Sálvio porque a maior autoridade no campo é o árbitro. Não tenho mágoa, mas é um lance que teria mudado para melhor a minha carreira. Foi algo que retardou um pouco a minha carreira, com certeza. Se tivesse o VAR (árbitro de vídeo), o resultado, com certeza, seria outro”, continuou o técnico, que depois teve passagens por Atlético-PR, Grêmio Prudente, Cerezo Osaka (Japão), Avaí, Ceará, Bahia, entre outros clubes.

Depois de perder o jogo de ida por 3 a 2, o Santo André precisava desbancar com autoridade o Santos, que vinha embalado com as boas atuações de Neymar, Ganso e Robinho. À Jovem Pan, Sérgio Soares revelou o incentivo peculiar que deu aos jogadores antes da equipe entrar no gramado do Pacaembu.

Sérgio Soares treinou o Santo André em 2010

“No vestiário, eu dei um envelope para eles com uma faixa de campeão e uma frauda dentro do envelope. E eu só mandei abrir depois que eu desse a todos. Depois que eu dei a todos, eu pedi para que eles abrissem e perguntei: ‘O que vocês querem? A faixa de campeão ou vão entrar com a frauda porque estão se borrando?'”, contou Soares.

“Aí todos os jogadores jogaram as fraudas no chão, botaram a faixa e falaram ‘vamos ser campeões’. Foi um momento que eu lembro com alegria pela postura que os caras reagiram. Foi algo que trago com alegria. E com certeza fez efeito porque o time foi muito valente dentro do campo de jogo”, continuou.

O Ramalhão, de fato, fez uma excelente partida, pressionou o Santos e chegou a acertar o poste do adversário aos 45 minutos do segundo tempo. A taça, entretanto, foi entregue ao Peixe, que tinha Dorival Júnior como comandante.

“Foi um jogo emocionante. O comportamento do Santo André, principalmente, na minha opinião, sempre buscando o resultado, buscando colocar o Santos em dificuldade. Eu me recordo daquela bola na trave do Rodriguinho, onde a gente poderia ter feito o 4 a 2 e saído campeão. Naquele momento não tinha como o Santos buscar outro gol. Foi emocionante do começo ao fim. Se nós levássemos o título, seria justo também”, resumiu.