Muricy fala sobre situação de Benítez no São Paulo e ainda acredita em vaga na Libertadores

Sincero, o ídolo da torcida admitiu o mau momento do time, que acumula cinco empates consecutivos no Campeonato Brasileiro e ocupa a 13ª colocação na tabela

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2021 11h59
Erico Leonan / saopaulofcMuricy Ramalho conversando com Crespo durante treino do São Paulo na Barra Funda

Muricy Ramalho, coordenador de futebol do São Paulo, concedeu entrevista exclusiva ao narrador Nilson Cesar, do Grupo Jovem Pan, na noite da última terça-feira, 12. Sincero, o ídolo da torcida admitiu o mau momento do time, que acumula cinco empates consecutivos no Campeonato Brasileiro e ocupa a 13ª colocação na tabela, somente três a mais que o Bahia, equipe que abre a zona de rebaixamento. O ex-treinador, no entanto, segue acreditando em uma classificação para a Copa Libertadores da América do ano que vem. “Um time grande como o São Paulo tem que pensar em Libertadores. Temos jogadores e jogos pra isso. É o pensamento”, comentou.

Ao narrador, Muricy também falou sobre a importância de Martín Benítez no elenco. Eleito o craque do Campeonato Paulista, o argentino perdeu espaço no segundo semestre, frequentando o banco de reservas. “Benítez é um meia que a gente não tinha, trata bem a bola. Um jogador que precisa treinar forte todos os dias. E a gente espera mais dele também”, disse o coordenador. Ao “Blog do Nicola”, no entanto, o empresário do meio-campista, Adrian Castellanos, manifestou insatisfação com as poucas oportunidades concedidas pelo técnico Hernán Crespo. Segundo o agente, o atleta deve deixar o clube do Morumbi, caso continue sendo coadjuvante no Tricolor. Vale lembrar que ele está emprestado pelo Independient ao São Paulo somente até o fim do ano.

Muricy Ramalho também falou sobre a pressão em seu retorno ao São Paulo. “Se não quero pressão, vou pra minha casa fazer churrasco e beber cerveja. Num clube grande, a pressão faz parte. Ela me fazia trabalhar mais. Não gosto muito de motivacional, porque a gente tem que dar resultado. Sou pago pra isso”, declarou o dirigente, que também abriu o jogo sobre os problemas do clube. “A situação do clube não é boa. Todo mundo sabe da dívida. Mas estamos conscientes que temos que reformular o CT. Já compramos alguns aparelhos. Vai começar a reforma no vestiário. O São Paulo ficou muito tempo parado. Temos muitos planos.”