Rogério Ceni se anima com entrega do São Paulo e abre o jogo sobre reforços

O treinador tratou de esclarecer rumores de que teria passado à diretoria do Tricolor uma lista de reforços com nomes badalados, como Willian Arão e Diego, ambos do Flamengo, além do goleiro Felipe Alves, do Fortaleza

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2021 11h16 - Atualizado em 01/11/2021 11h17
MAURO HORITA/ESTADÃO CONTEÚDORogério Ceni comandando o São Paulo na vitória contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro

O São Paulo venceu o Internacional pelo placar magro de 1 a 0, na noite do último domingo, 31, no Morumbi, em duelo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor, no entanto, “esmagou” a equipe gaúcha, sufocando o rival desde o primeiro minuto e criando várias oportunidades para construir uma vantagem maior. Em entrevista coletiva, Rogério Ceni demonstrou animação com a entrega dos jogadores são-paulinos e minimizou as chances desperdiçadas diante do Colorado. Para ele, a vontade dos atletas mostra que o time tem margem de evolução e também deixa a torcida mais empolgada – ontem, quase 20 mil pessoas compareceram ao Cícero Pompeu de Toledo.

“O importante é que todos deixaram tudo que tinham em campo. Esse é o principal fator. A parte de gols, essas coisas, a gente tenta treinar e evoluir com o passar dos jogos. A entrega deixa, não só a mim, como também o torcedor, mais animado”, comentou o treinador, que tem em mãos o segundo pior ataque do Brasileirão com 23 gols marcados, à frente apenas do Sport, que tem 17. “Sem dúvida, a agressividade é uma característica que queremos deixar marcada nesse time. Criar é o objetivo, mas lógico que fazer os gols seria melhor para ter um jogo mais tranquilo”, completou Ceni, ressaltando as oportunidades da equipe – Rigoni, Luciano, Igor Gomes, Benítez e Reinaldo tiveram chances claras para aumentar o marcador.

O treinador também tratou de esclarecer rumores de que teria passado à diretoria do Tricolor uma lista de reforços com nomes badalados, como Willian Arão e Diego, ambos do Flamengo, além do goleiro Felipe Alves, do Fortaleza. Sobre o tema, Ceni negou e disse que o São Paulo não deve fazer contratações caras para a próxima temporada. “Com relação a Arão, Diego e Felipe Alves, são três ótimos profissionais com quem trabalhei, tenho no mais alto conceito e fariam bem para qualquer equipe no Brasil. Mas em momento algum foi solicitado para a direção. Eu sei o momento que o São Paulo atravessa, talvez o torcedor não saiba o momento, a verdade, o todo, o tamanho da situação em que nos encontramos”, pontuou.

“Então vamos ao mercado ano que vem, mas sem condições de trazer jogadores desse nível. Vamos atrás de atletas mais jovens. Precisamos nos reforçar ano que vem, dentro das possibilidades financeiras do clube. Temos que diminuir a folha salarial, fazer com que o São Paulo volte a ter vida própria no futuro”, completou o técnico, que voltará a comandar o São Paulo no próximo domingo, 7, às 18h30 (de Brasília), diante do Bahia, fora de casa. Com 37 pontos, o Tricolor é o 11º colocado do Brasileirão e pode pensar em buscar uma vaga na Libertadores do ano que vem.