STJD defere pedido do Goiás e adia partida contra o São Paulo

Presidente do Goiás, Mauro Machado afirma que o clube “preferiu agir com coerência”

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2020 16h16 - Atualizado em 09/08/2020 20h40
CARLOS COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOJogadores chegaram a se aquecer em campo, mas jogo foi adiado por decisão do STJD

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) deferiu o pedido do Goiás, que teve 10 jogadores diagnosticados com Covid-19, e permitiu o adiamento da partida contra o São Paulo, válida pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista ao SporTV, o presidente do Goiás, Mauro Machado, afirmou que o clube “preferiu agir com coerência” e não levar o time a campo. Todos os jogadores estavam concentrados, portanto, é possível que outros atletas também estejam com a doença.

“Teríamos 13 jogadores, 11 titulares e outros dois no banco. Sem goleiro. Infelizmente, pedimos a liminar no intuito de rever a partida. Ia ser uma festa bonita, mas é uma questão de segurança e saúde. Os 10 atletas estavam concentrados, e agente não sabe dizer se os outros podem estar também. Diante disso, prevaleceu a coerência e o bom senso. Precisamos agir de forma correta. Peço desculpas”, completou Machado.

Minutos depois da decisão do tribunal, a CBF confirmou o adiamento da partida. Ainda não há uma nova data para a realização do jogo. Pelas redes sociais, o São Paulo demonstrou apoio à decisão. “O São Paulo manifesta apoio e informa que está de acordo com a decisão de adiamento do jogo deste domingo, em Goiânia. Não há nada mais importante, neste momento, do que preservar a saúde e refletir à sociedade a importância dos cuidados.”

Entenda o caso 

No início da tarde deste domingo, o Goiás informou que dez jogadores, oito do time titular, haviam sido diagnosticados com covid-19. O clube solicitou o adiamento da partida, mas não obteve resposta da CBF, e apelou então para o STJD. A resposta veio minutos antes do início da partida, quando o São Paulo já estava em campo, discutindo o caso com o delegado e o trio de arbitragem.

O Goiás afirmou que estava realizando cerca de 70 testes por semana, do tipo RT-PCR, em jogadores, comissão técnica e funcionários. Os exames feitos na quinta-feira, porém, foram invalidados pela CBF e uma nova rodada de testes foi realizada em um laboratório escolhido pela entidade na sexta-feira. Os resultados – com 10 atletas positivos, sendo oito deles titulares – só foram apresentados na manhã deste domingo, não respeitando, portanto, o período de 24h de antecedência para informar os resultados. O clube esmeraldino, então, decidiu realizar por conta própria uma nova bateria de exames nos jogadores contaminados e aguarda os resultados dos testes.