Tchê Tchê quebra o silêncio e fala sobre briga com Diniz no São Paulo: ‘Me deixou mal’

Quase oito meses depois de ter sido chamado pelo treinador de ‘mascaradinho’ e ‘perninha’, o volante abriu o coração no podcast ‘Podpah’ e admitiu que ficou magoado com o incidente

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2021 16h33 - Atualizado em 31/08/2021 17h41
Foto: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO Tchê Tchê foi xingado por Fernando Diniz no fim de sua passagem pelo São Paulo

O meio-campista Tchê Tchê, atualmente no Atlético-MG, quebrou o silêncio nesta terça-feira, 31, e falou pela primeira vez sobre o entrevero que teve com Fernando Diniz, em janeiro deste ano, quando ambos ainda trabalhavam no São Paulo. Quase oito meses depois de ter sido chamado pelo treinador de “mascaradinho” e “perninha”, o volante abriu o coração no podcast “Podpah” e admitiu que ficou magoado com o incidente, ocorrido na derrota do Tricolor para o RB Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro 2020. “Foi algo que me deixou mal. Vai ser a primeira e última vez que eu vou falar sobre o assunto. Eu fui criado de uma maneira de sempre respeitar as pessoas. Nunca faltei com respeito com as pessoas, nunca xinguei ninguém. Eu poderia ter xingado, mas mantive minha postura, que é a que eu tenho no meu dia a dia. Isso fez mal não só a mim. Eu já ouvi coisas piores, mas eu sei quem eu sou. Pô, mas depois do jogo eu vi a proporção que tomou. Meu pai me ligou chorando. Foi totalmente na contramão dos princípios que eu fui criado”, disse.

O caso teve ampla repercussão na imprensa esportiva na época. Para alguns comentaristas, o caso não deveria ser tratado como algo excepcional no futebol, já que Tchê Tchê e Fernando Diniz possuíam uma antiga relação. O meio-campista, entretanto, acredita que o São Paulo deveria ter se posicionado. “Não sou ‘mala’, ‘perna’ ou arrogante. Não sou metido. Só que, meu, ele foi mal naquilo. Tanto que depois a gente conversou… Ninguém me protegeu no clube também. Ninguém tomou à frente! Eu não tenho ‘pai’ nenhum no futebol. Eu fiz tudo acontecer desde o início. Ninguém fez favor para mim. Eu não visto as camisas dos clubes porque eu sou bonito. É por isso que eu não ‘pago pau’ para ninguém. Eu fiquei sem entender, só fui perguntar”, completou o jogador, falando sobre o atual técnico do Santos.