Djokovic não poderá disputar Roland Garros se não estiver vacinado

Segundo decisão do governo da França, comprovante de vacinação será obrigatório para a circulação em ginásios e eventos esportivos; tenista perdeu seu visto e foi forçado a deixar a Austrália por não ter se vacinado

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2022 10h24
Reprodução/Twitter @DjokerNole Novak Djokovic Tenista deverá se vacinar para disputar o tradicional torneio, que acontecerá em maio deste ano

Depois de ter seu visto cancelado e ser proibido de disputar o Aberto da Austrália, o tenista sérvio Novak Djokovic poderá perder outro grande torneio da temporada. Isto porque o parlamento francês aprovou uma lei que exige o certificado de vacina para frequentar locais públicos, incluindo eventos esportivos. Com isso, Djokovic não poderá jogar em Roland Garros, um das principais eventos do esporte mundial, caso não se vacine contra a Covid-19. Nesta segunda-feira, 17, o Ministério do Esporte afirmou que não irá abrir nenhuma exceção. “A regra é simples. O passe de vacina será imposto, assim que a lei for promulgada, nos estabelecimentos que já estavam sujeitos ao passe de saúde. Isso se aplica a todos que são espectadores ou esportistas profissionais. Isso vale até novo aviso. Agora, ainda que haja uma preocupação, Roland Garros é em maio. A situação pode mudar até lá e nós esperamos que seja mais favorável. Então, vamos ver. Mas claramente não haverá exceção”, diz o comunicado do ministério. As leis de imigração australianas determinam que, por ter perdido seu visto, Djokovic ficaria proibido de entrar no país por três anos. Entretanto, Scott Morrison, primeiro-ministro australiano, diz que o sérvio poderá voltar a entrar no país sob “as circunstâncias certas”.