EUA oferecem acordo à Rússia para libertar a jogadora de basquete Brittney Griner

Estela da WNBA foi presa em fevereiro por tráfico de drogas e pode se envolver em troca de presos entre os países

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2022 19h48 - Atualizado em 27/07/2022 20h54
ALEXANDER ZEMLIANICHENKO/EFE/EPA - 27/07/2022 A estrela da WNBA e duas vezes medalhista de ouro olímpica Brittney Griner segura imagens em uma gaiola em um tribunal antes de uma audiência Griner viajou para a Rússia em fevereiro e está presa desde então

Os Estados Unidos ofereceram um acordo à Rússia para libertar a estrela da WNBA, Brittney Griner, presa por tráfico de drogas no início do ano. Ela se declarou culpada de entrar com óleo de cannabis no país euroasiático, em fevereiro, mas afirmou que não sabia como a droga foi parar em sua mala. Brittney pode pegar até 10 anos se condenada. O “pacote” também inclui outro norte-americano preso, Paul Whelan. A revelação de acordo foi feita pelo secretário de Estado, Antony Blinken, nesta quarta-feira, 27.

A discussão envolve a libertação de Viktor Bout, traficante de armas russo condenado a 25 anos em 2012. O governo de Putin tenta repatriá-lo há anos. Segundo Blinken, o acordo foi oferecido semanas atrás e ainda não é certo que irá resultar na libertação dos presos. Depois de algumas tratativas silenciosas, os EUA trouxeram à tona o acordo num momento em que o governo é pressionado para trazê-los para casa. Uma ligação entre Blinken e Sergey Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, foi pedida pelo governo norte-americano na primeira conversa entre os países desde 15 de fevereiro, dias antes da invasão russa à Ucrânia.