Fórmula 1: FIA pune Racing Point com perda de 15 pontos e multa de R$ 2,5 milhões

Em um longo documento divulgado pela entidade nesta sexta-feira, os investigadores concluíram que o projeto do duto de freio da Racing Point de fato viola o regulamento da Fórmula 1

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2020 08h58
Racing Point/ DivulgaçãoRacing Point perderá pontos na Fórmula 1

O primeiro dia de atividades de pista para o GP do 70.º Aniversário, a quinta etapa da temporada de 2020 da Fórmula 1, no circuito de Silverstone, na Inglaterra, começou agitado nesta sexta-feira, 7. Pouco antes do início da primeira sessão de treinos livres, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA, na sigla em francês) divulgou a decisão sobre o protesto da Renault contra a Racing Point, julgando a favor da equipe francesa. Assim, a Racing Point recebeu uma advertência, perdeu pontos no Mundial Construtores e uma multa de 400 mil euros (cerca de R$ 2,5 milhões) como punição. Em um longo documento divulgado pela FIA nesta sexta-feira, os investigadores concluíram que o projeto do duto de freio da Racing Point de fato viola o regulamento da Fórmula 1. A entidade concluiu que o “principal” projetista do duto de freio era a Mercedes, o que significava que a Racing Point havia quebrado as regras com o que havia feito.

Foi decidido que a equipe perderá 15 pontos no Mundial de Construtores, 7,5 de cada carro, no GP da Estíria, o segundo da temporada, além da multa. A equipe também recebeu uma reprimenda por ter continuado a usar os dutos nos GPs da Hungria e da Grã-Bretanha. No caso da punição com a perda de pontos, esta afeta somente a equipe no Mundial de Construtores e não influencia no de Pilotos Sendo assim, o mexicano Sergio Pérez e o canadense Lance Stroll permanecem com 22 e 20, respectivamente. Já a escuderia agora cai para 27. A principal beneficiada é justamente a Renault que, com 32 pontos, passa exatamente a Racing Point e sobe para a quinta posição. “Considerando que os dutos de freio traseiros do RP20 não foram usados no RP19 em 2019 e considerando que os fiscais acreditam que o esforço de design gasto pela Racing Point para adaptar os dutos desenhados originalmente pela Mercedes para o W10, a investigação conclui que o designer principal dos dutos traseiros do RP20 foi a Mercedes, e não a Racing Point”, informou a FIA no comunicado oficial.

Apesar da punição para a equipe no Mundial de Construtores, a FIA disse que não é algo realista esperar que a Racing Point remova seus dutos nesse momento, trocando por novos. “A investigação reconhece que, já que os dutos seguem o regulamento técnico de 2020 da FIA, não é realista esperar que a Racing Point desenvolva um novo projeto de modo que levaria eles a ‘desaprender’ o que já sabem. Portanto, a penalidade imposta tem como intenção punir a vantagem em potencial que a Racing Point pode ter ganho no processo de utilizar algo que não foi projetado por eles”, completou.

HULKENBERG 

Também nesta sexta-feira, a Racing Point confirmou que o alemão Nico Hülkenberg volta ao cockpit para o GP do 70.º Aniversário. Será a segunda participação do piloto como substituto de Sergio Pérez, que voltou a testar positivo para o novo coronavírus e segue afastado da Fórmula 1 até segunda ordem. O favoritismo para a vaga na Racing Point era de Pérez em um primeiro momento. Por questões burocráticas, o mexicano foi autorizado a retornar ao paddock após apenas sete dias de isolamento e não 10. Isso se testasse negativo para a covid-19. Como não foi o que aconteceu, Hülkenberg voltou a ser chamado.

“Eu fico animado por voltar à equipe em Silverstone”, disse Hülkenberg. “Demos um passo rumo ao desconhecido fim de semana passado, considerando que fiquei afastado da equipe por alguns anos e que pilotei um carro que nunca tinha pilotado antes. Eu aprendi muito sobre o RP20 na semana passada e estou pronto para aplicar essas experiências neste fim de semana. Correr na mesma pista facilita as coisas. Acho que podemos lutar por pontos neste fim de semana, que é certamente meu objetivo. Quero desejar o melhor ao Checo (Pérez) em sua recuperação”, afirmou o alemão.

*Com Estadão Conteúdo