Hamilton dá show na Hungria e alcança a 90ª pole da carreira

Desde que estreou na carreira, em 2007, Hamilton conseguiu acumular 90 poles, 22 a mais que o alemão Michael Schumacher, e 25 a mais que Ayrton Senna, que são segundo e terceiro colocados, respectivamente, no ranking histórico

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2020 11h25
EFEHamilton conseguiu marca para ampliar ainda mais o seu recorde de poles

O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, deu mais um show neste sábado e cravou na Hungria a 90ª pole position da carreira, aumentando a impressionante marca em sessões de classificação, em que é recordista absoluto. Esta ainda é a sétima vez que o piloto largará na posição número 1 do Grande Prêmio disputado no circuito de Hungaroring. Hoje, a condição foi alcançada após volta incrível de 1min13s447, na última passagem pela pista, na terceira parte do treino que definiu o grid.

Desde que estreou na carreira, em 2007, Hamilton conseguiu acumular 90 poles, 22 a mais que o alemão Michael Schumacher, e 25 a mais que Ayrton Senna, que são segundo e terceiro colocados, respectivamente, no ranking histórico. Além disso, o britânico igualou o sete vezes campeão mundial da categoria, que também havia conseguido o primeiro lugar do grid em sete oportunidades no circuito de Hungaroring, um dos mais tradicionais da Fórmula 1. Ao cravar o recorde da pista, Hamilton conseguiu ficar 107 milésimos na frente do finlandês Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe e atual líder da temporada, que já teve duas provas realizadas na Áustria.

Na segunda fila estará a chamada “Mercedes rosa”, apelido da Racing Point, que é empurrada por motores da montadora alemã. O canadense Lance Stroll ficou em terceiro, 930 milésimos distantes da pole, e foi seguido pelo mexicano Sergio Pérez.

A Ferrari, que teve os pilotos envolvidos em acidente no último fim de semana, colocou o monegasco Charles Leclerc e o alemão Sebastian Vettel na terceira fila, em quinto e sexto lugar, respectivamente.

O holandês Max Verstappen, da Red Bull, ficou em sétimo, seguido pelas duas McLarens, do britânico Lando Norris, que foi oitavo, e do espanhol Carlos Sainz, que ficou em nono. O ‘top-10’ foi fechado pelo francês Pierre Gasly, da AlphaTauri.

A maior surpresa do treino de hoje foi o desempenho da Williams, que pela primeira vez desde meados de 2018 conseguiu que os dois carros avançassem no Q1. O britânico George Russell largará em 12º, e o canadense Nicholas Latifi em 15º.

*Com Agência EFE