Idade avançada de treinadores e auxiliares preocupa NBA para retorno

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2020 10h04
EFEComandante do San Antonio Spurs, Gregg Popovich, de 71 anos, é o técnico mais velho da NBA

Com a NBA procurando soluções para a retomada das atividades competitivas após a paralisação por causa da pandemia do novo coronavírus, os times têm trabalhado com cenários para potenciais jogos com apenas pessoas essenciais envolvidas. No entanto, algo que tem se mostrado uma preocupação para dirigentes, acima de títulos ou responsabilidades, é a idade avançada de alguns treinadores e suas comissões.

Segundo reportagem da ESPN norte-americana, que ouviu diversos gestores de franquias, um deles destacou a idade avançada de seu treinador e de algumas pessoas de sua comissão. Um gerente-geral, que preferiu manter o anonimato, disse que se sentiria desconfortável em ter de colocar essas pessoas em risco caso as partidas sejam retomadas. “Eu não quero colocá-los em situações complicadas”, disse o dirigente.

As pessoas de idade mais avançada são consideradas grupo de risco da pandemia e têm sido vítimas constantes da Covid-19. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, pessoas acima de 65 anos correm mais riscos de morte com o vírus e devem ser mais preservadas.

Um outro gerente-geral também mostrou preocupação em relação a pessoas com doenças crônicas. “Baseado nas informações que temos até hoje, pessoas acima de 60 anos com condições pré-existentes não podem ir, com toda certeza, não importa quais sejam seus títulos”, afirmou. “Mesmo que seja o pai de um astro ou mesmo que seja um gerente-geral de um time, eles não podem se arriscar”.

Atualmente, a NBA possui seis técnicos com 60 anos ou mais. São eles: Dwane Casey (do Detroit Pistons, com 63 anos), Mike D’Antoni (do Houston Rockets, com 68), Rick Carlisle (do Dallas Mavericks, com 60), Terry Stotts (do Portland Trail Blazers, com 62), Alvin Gentry (do New Orleans Pelicans, com 65) e Gregg Popovich (do San Antonio Spurs, com 71).

Mas o problema não são só os comandantes principais. Diversos outros funcionários da comissão técnica e que trabalham nos bastidores das equipes se enquadram como grupo de risco. “Eu me preocupo com esse pessoal”, disse o primeiro dirigente entrevistado pela reportagem. “Esta é uma exposição que eu penso que não podemos lidar”.

Embora ainda não tenha planos de voltar com a temporada regular, a NBA já começa a traçar novas datas em razão da paralisação da Covid-19. A liga foi uma das primeiras entidades mundiais e tomar atitudes e, mesmo há quase dois meses sem jogos, já tem alguns planejamentos como começar a próxima temporada em dezembro e o adiamento de alguns eventos relacionados ao Draft.

*Com informações do Estadão Conteúdo