Maurício Souza diz não ter cometido crime e dispara: ‘Se sair do Minas, arrumo outro time’

Afastado do clube por tecer comentários preconceituosos, o jogador de vôlei gravou um vídeo na tarde desta quarta-feira, 27, pedindo desculpas, mas reafirmou seu posicionamento

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2021 15h58 - Atualizado em 27/10/2021 16h16
Reprodução/Instagram/mauriciosouza17Maurício Souza disse que não cometeu crime ao criticar homossexuais

Afastado do Minas Tênis Clube por tecer comentários homofóbicos nas redes sociais, Maurício Souza gravou um vídeo na tarde desta quarta-feira, 27, pedindo desculpas. O jogador, entretanto, reafirmou sua posição preconceituosa, dizendo não ter cometido qualquer crime. “Eu vim para pedir desculpas a todos que se sentiram ofendidos com a minha opinião por defender aquilo que eu acredito. Não foi a minha intenção. Respeito todos, sempre respeitei dentro e fora de quadra. Já joguei com vários homossexuais e sempre os respeitei, sempre mantive amizade. Fico triste por tudo que está acontecendo. Infelizmente, a gente não pode mais dar opinião, não pode colocar os valores acima de tudo, valores de família que a gente acredita. Mas os valores de vocês a gente tem que respeitar a qualquer custo. Se não, somos taxados de homofóbicos, como preconceituosos. Não concordo com isso”, disse em publicação feita no Instagram.

Maurício Souza acabou sendo afastado e multado após patrocinadores do Minas pressionarem o clube a tomar alguma medida sobre o caso. Quanto ao tema, o jogador que também defende a seleção brasileira disse estar chateado. Ele, entretanto, não mostrou tanta preocupação quanto ao seu futuro nas quadras. “Estou passando por dificuldades no time. Talvez eu saia do time por conta de uma opinião. A vontade de vocês é essa, e ela está sendo acatada. Hoje em dia, não podemos dar opinião de nada. Se eu sair do time, pode ter certeza que eu vou arrumar outro time para jogar. Eu não jogo porque eu sou ‘bonitinho’ ou ‘grandão’. Jogo porque sou competente, assim como homossexuais não jogam porque são homossexuais”, declarou. “Infelizmente, chegamos a esse ponto. Eu não sei se o que eu fiz foi crime. Se fosse um crime, a polícia já teria vindo até aqui me prender. Não foi crime nenhum o que eu fiz. Foi apenas dar a opinião sobre algo que eu acredito. Se isso ofendeu alguém, mais uma vez, eu peço desculpas. Não foi minha intenção”, completou.

Antes de entrar em uma entrevista ao programa “Pânico”, da Jovem Pan News, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) saiu em defesa de Maurício Souza. “Puta que o pariu, impressionante né? Tudo é homofobia, tudo é feminismo”, disse o chefe do Executivo, em fala transmitida por suas redes sociais. Tudo começou quando o atleta, recentemente, criticou a DC Comics por um quadrinho em que o Super-Homem aparecia beijando uma pessoa do mesmo sexo. “É só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, escreveu na ocasião. O companheiro de seleção brasileira, Douglas Souza, respondeu a provocação dizendo que sempre viu casais heterossexuais se beijando na cultura pop e isso não o influenciou em sua sexualidade. “Hoje em dia o certo é errado e o errado é certo. Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo. Fico com minhas crenças, valores e ideias”, rebateu Maurício.