The Last Dance: Jornalista diz que Michael Jordan mentiu ‘várias vezes’ em documentário

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2020 18h43
Twitter/ReproduçãoMichael Jordan em sua última partida pelo Chicago Bulls no Madison Square Garden

Autor de The Jordan Rules, livro publicado em 1992 que revelou conflitos entre Michael Jordan e companheiros de Chicago Bulls, o jornalista Sam Smith disse que o maior jogador da história da NBA mentiu “em várias situações” durante o documentário The Last Dance, publicado pela Netflix em parceira com a ESPN.

Em entrevista a uma rádio americana, Smith afirmou que a produção mais se parece com uma “ficção baseada em fatos reais” do que com um documentário de fato.

“Há várias coisas no documentário que eu vi, eu sabia do fato, que Jordan inventou ou mentiu. Não eram coisas importantes, mas era como se fosse o lançamento de um filme em que estavam ali dizendo: ‘isso é baseado numa história real’. Foi isso. Uma produção baseada numa história real… Muitos dos detalhes, como a história da pizza e da intoxicação não fizeram qualquer sentido”, disse Smith, referindo-se à revelação feita pelo documentário de que, no jogo 5 das finais de 1997, Michael Jordan não estava com gripe, e sim com uma intoxicação alimentar decorrente da ingestão de uma pizza inteira na noite anterior.

Segundo o jornalista, também não é verdade, por exemplo, que Jordan e os outros craques dos Bulls estivessem mesmo dispostos a permanecer na franquia após a conquista do segundo tricampeonato da NBA, em 1998. “Há outras questões nas quais não quero entrar. Não foram coisas significativas, mas a questão no final foi uma completa e flagrante mentira”, disparou.

O documentário The Last Dance exibe bastidores da conquista do sexto título do Chicago Bulls na NBA, em 1997/98. Polêmica, a produção revela que, apesar de multivencedora, a franquia tinha um clima um tanto quanto turbulento e mostra que Michael Jordan muitas vezes extrapolava na forma de cobrar companheiros de equipe.