Roberto de Andrade diz que negociação com Guerrero “começa do zero”

  • Por Jovem Pan
  • 20/02/2015 19h24

Roberto de Andrade Folhapress Roberto de Andrade

Roberto de Andrade, o novo presidente do Corinthians, participou do Jornal de Esportes da Rádio Jovem Pan, nesta sexta-feira (20), e falou sobre diversos assuntos referentes aos seus planos de início de mandato.

No tocante à renovação do atacante Paolo Guerrero, o mandatário do Timão revelou que a negociação vai ser iniciada novamente, já que o comando do clube mudou.

“Não existem mais valores. Por que eu entendo que começa do zero? Primeiro, o presidente era o Mário Gobbi. Não é mais o Mário, é o Roberto. Cheguei agora. O Corinthians fez uma pedida e ele não aceitou. Ele fez uma contraproposta e o Corinthians não aceitou. Nós temos que abandonar os números. O negócio começa do zero. Aquilo já foi, não existe”, disse. “Eu marquei com o empresário dele, que está viajando, e vamos conversar no final da outra semana”, prosseguiu.

Roberto de Andrade também reiterou, como já havia dito, que Jadson não sai do clube antes do término da participação corintiana na Copa Libertadores, mesmo em caso de proposta generosa.

“Como eu disse, a proposta deve chegar, ainda não chegou. Só conversei com os representantes do atleta e, já de antemão, avisei que, independentemente dos valores, a liberação do atleta, caso o Corinthians aceite a proposta, seria somente pós-Libertadores. Neste momento, não tem negócio. Se a exigência for que ele vá agora, independentemente do valor, ele não irá”, assegurou, antes de rechaçar qualquer proposta pelo principal zagueiro do time. “Do Gil não existe nada, só especulação. Não chegou proposta nenhuma ao Gil”, continuou.

O presidente do Corinthians também projetou a próxima partida do Corinthians na Libertadores, contra o San Lorenzo, fora de casa, e preferiu não declarar sua equipe como favorita mesmo com o fato de a equipe adversária ser obrigada a atuar com portões fechados, devido a uma punição.

“Eu não consigo fazer uma avaliação se é melhor ou não, mas acredito que é uma pequena vantagem, mas a gente sabe que o que manda é dentro de campo. Às vezes, por falta de torcida, os jogadores acabam se superando. Enfim, eu acho que será um grande jogo e a se a gente conquistar uma vitória fora de casa, será um passo importantíssimo para a classificação”, falou. “É lógico que (a classificação) fica muito bem encaminhada (em caso de vitória sobre San Lorenzo), mas não podemos dizer que, com seis pontos, a gente vá conseguir a classificação, já que tem 18 para serem disputados. Acho que a definição será mesmo no último jogo. A gente sabe que pode haver um equilíbrio. Tudo pode acontecer em uma chave tão complicada como essa. Mas fazendo três pontos fora, você encaminha muito bem a classificação”, finalizou.