Futebol feminino: Brasil tentar dar o troco no Canadá, algoz do bronze na Rio 2016

Seleção canarinho leva vantagem contra canadenses em retrospecto recente e está firme na busca pelo ouro

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2021 16h00
Richard Callis/ SPP/ CBFBrasil e Canadá se enfrentaram na disputa do bronze na Rio 2016

Nesta sexta-feira, 30, a seleção feminina de futebol começa o mata-mata da modalidade na Tóquio 2020, em busca da medalha inédita de ouro. A seleção de Marta, Formiga e companhia enfrenta o Canadá, às 5h (horário de Brasília), no estádio de Miyagi, e tem uma amarga lembrança das adversárias na última edição das Olimpíadas. Na Rio 2016, o Brasil perdeu a medalha de bronze para o Canadá, na Neo Química Arena. O revés foi duro, mas o retrospecto recente entre as equipes favorece a seleção brasileira. O Canadá é o adversário que a seleção brasileira mais vezes enfrentou na era Pia Sundhage: foram quatro jogos com dois empates e duas vitória da seleção brasileira. O primeiro confronto aconteceu em novembro de 2019 com goleada do Brasil por 4 a 0, gols de Chú, Formiga e Bia Zaneratto (duas vezes).

Em março de 2020, no Torneio da França, o jogo terminou em 2 a 2 com gols de Marta e Ludmila. Em fevereiro deste ano, as seleções voltaram a se enfrentar pela Copa She Believes, nos Estados Unidos, e o Brasil venceu por 2 a 0, gols de Debinha e Julia Bianchi. No último amistoso pré-Tóquio, o placar foi de 0 a 0. Nessa edição das Olimpíadas, o time canarinho também tem um desempenho melhor. No Grupo F, ficou na segunda colocação, marcando nove gols e sofrendo três (todos da Holanda). O Canadá também terminou em segundo, mas marcou quatro vezes e levou três gols no Grupo E, que tinha Japão, Grã-Bretanha e Chile. No duelo das artilheiras, a Amarelinha também sai na frente. Marta tem três gols, e Beckie, dois.

Quem pode fazer a diferença?

Além da atacante Janine Beckie, que é a artilheira da seleção da América do Norte, o Brasil precisa ficar de olho em Cristiane Sinclair. Aos 38 anos, a avante é a maior referência do Canadá e considerada uma lenda do futebol feminino mundial. Na seleção desde 2000, ela levou seu país à conquista da medalha de bronze nos últimos dois Jogos Olímpicos, sendo que na Rio 2016 a vitória foi justamente contra o Brasil. Com um ataque forte e uma defesa bem postada, a seleção brasileira feminina tem boas chances de avançar. Se vencer, pegará nas semifinais o vencedor do duelo entre Holanda e Estados Unidos.