Última glória na F1: há 23 anos Senna ganhava o tricampeonato no Japão

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2014 19h13
Automobilismo - Fórmula 1: o piloto brasileiro Ayrton Senna pilota sua McLaren, durante chuva, no autódromo de Interlagos, em São Paulo. (São Paulo, SP, 00.03.1991. Foto: Luiz Novaes/Folhapress) Folhapress Ayrton Senna conquistou o seu último título Mundial em 1991

Há exatos 23 anos Ayrton Senna da Silva conquistava o último título mundial de Fórmula 1 de sua carreira. O título de 1991 foi o último de um brasileiro na categoria e o piloto escreveu definitivamente seu nome na história do esporte nacional, sendo até hoje reconhecido internacionalmente como um dos grandes.

No início, Senna viu seu maior rival, Alain Prost, fora da briga pelo título, o brasileiro tinha como principal obstáculo a superioridade dos carros da Williams, que contava ainda com a experiência do piloto Nigel Mansell como o principal adversário do brasileiro naquele ano.

Em 1991 Senna teve um início arrasador. O piloto venceu as quatro primeiras corridas daquela temporada (África do Sul, Brasil, San Marino e Mônaco), porém todos lembram da sua primeira vitória em casa. Em Interlagos, após oito anos na Fórmula 1, conquistou o triunfo de maneira heróica. A 20 voltas do final, o piloto da McLaren perdeu a 4ª marcha e, nas últimas sete voltas, ficou também sem a 3ª e a 5ª marcha, tendo que terminar o trajeto, debaixo de chuva, apenas com a 6ª.

A corrida foi tão extenuante que, após cruzar a linha de chegada, Senna saiu carregado de seu carro. No pódio, exausto e muito emocionado, o brasileiro mal conseguiu levantar o troféu da vitória.

Outro momento emocionante ficou guardado para o GP do Japão, em Suzuka. No circuito onde já havia conquistado o campeonato duas vezes, o brasileiro foi ajudado por um erro de Mansell. Tendo que forçar desde o início, o britânico rodou na 10ª volta e abandonou, esgotando suas chances no campeonato. Com isso, Senna nem precisou vencer para confirmar seu terceiro título, com uma prova de antecedência.

O segundo lugar em Suzuka foi suficiente para garantir a festa do piloto brasileiro, que, como de costume, fez a volta de comemoração e subiu ao pódio carregando a bandeira brasileira.

Como ainda restava uma corrida para terminar o Mundial, o piloto brasileiro ainda conseguiu fechar com chave de ouro e triunfou a corrida da Austrália, em Adelaide, chegando à marca de oito pole positions e sete vitórias na temporada.