Apoio à independência da Escócia diminui em nova pesquisa

  • Por Agencia EFE
  • 13/07/2014 11h35

Londres, 13 jul (EFE).- O apoio à independência da Escócia baixou e está em 34%, segundo uma nova pesquisa sobre intenções de voto divulgado neste domingo, quando falta pouco mais de dois meses para o referendo sobre a cisão da região do Reino Unido.

O dominical “Scotland on Sunday” publica hoje uma pesquisa elaborada pelo instituto ICM com mais de mil pessoas em que 45% dos entrevistados afirmam que optarão pelo “não” na consulta popular do dia 18 de setembro.

Assim, o apoio à independência caiu dois pontos percentuais em relação à outra pesquisa realizada pelo veículo em junho, enquanto o apoio à união com Londres subiu dois pontos.

Sem levar em conta os eleitores indecisos, o “sim” à independência se situa em 43%, contra 57% do “não”.

O “Scotland on Sunday” opina que está dando frutos a estratégia dos partidos políticos que rejeitam a secessão, que disseram no mês passado que Londres dará mais poderes ao governo de Edimburgo se a Escócia permanecer no Reino Unido.

Nesse sentido, 40% dos indagados pelo ICM, 2% a mais que em junho, acredita que haverá mais transferência de competências se vencer o “não”, como sustenta o Partido Conservador, os trabalhistas e os liberal-democratas, esses últimos, parceiros dos “tories” no governo britânico.

Entre as notícias positivas para o grupo do “sim”, a pesquisa destaca que a brecha de gênero diminuiu e indica que, sem contar com os indecisos, 44% das mulheres votará a favor da independência, em contraste com 43% dos homens.

Em pesquisas anteriores o apoio à independência por parte dos homens sempre foi significativamente superior ao das mulheres, lembra o dominical.

A campanha pela independência está liderada pelo Partido Nacionalista Escocês (SNP) do ministro principal, Alex Salmond, que governa em maioria na Escócia, enquanto a campanha pelo “não” é patrocinada pelos três principais partidos políticos britânicos. EFE