Cai para 11 o número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil, diz Ministério da Saúde

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2020 13h21 - Atualizado em 05/02/2020 15h44
Divulgação / Josué DamacenaBrasil tem apenas um caso suspeito de coronavírus

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (5) que o número de casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil caiu para 11. Nenhum foi confirmado pelas autoridades.

Segundo a pasta, são cinco casos suspeitos no Rio Grande do Sul, quatro em São Paulo, um em Santa Catarina e um no Rio de Janeiro. Já foram descartados 21 desde a primeira suspeita relatada.

Durante coletiva de imprensa nesta tarde, o Ministério da Saúde informou que de terça para quarta cinco casos foram descartados – sendo um em Santa Catarina e quatro em São Paulo. Apenas três, de todos os casos até então monitorados, foram submetidos ao exame específico para o novo coronavírus e também foram descartados.

“Tivemos três pacientes testados especificamente para coronavírus, e já descartados. Importante ressaltar que todos os casos descartados tinham outro vírus, que foi identificado, o que demostra a robustez dos órgãos de saúde na identificação”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo Reis. Ainda segundo a pasta, dos 21 casos descartados, 10 tinham o vírus Influenza A.

Sobre os protocolos que serão adotados durante a viagem das duas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), que já estão a caminho da China para repatriar os brasileiros de Wuhan, a pasta ressaltou que colaborou com o Ministério da Defesa com sugestões para os profissionais que fazem parte da tripulação.

“Fizemos sugestões, mas o Ministério da Defesa tem um protocolo bem consolidado, portanto foram pequenas sugestões. A gente apoia todas as ações adotadas e não existiram divergências com relação ao protocolo da Defesa”, disse Julio Croda, secretário substituto da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde.

A quarentena da tripulação que receberá os 34 brasileiros de Wuhan, epicentro do surto na China, ainda está em discussão com o Ministério da Defesa. “O protocolo está sendo discutido com o Ministério da Defesa. Nós estamos dando apoio técnico e, em relação ao profissional de saúde, existem diversos tipos de exposição, então é logico que os profissionais que tiveram mais contato com essas pessoas passarão por quarentena” garantiu Croda.

Na China, o número de mortos subiu para 490 nesta quarta. De acordo com o governo chinês, o total de infectados chegou a 24.324, incluindo 3.129 casos graves.

Além da China, outros 23 países já confirmaram casos da doença, com 159 registros e uma morte, nas Filipinas, de acordo com balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS).