43% dos brasileiros acreditam na melhora da economia, diz Datafolha; 36% acham Bolsonaro péssimo

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2019 08h32
Valter Campanato/Agência Brasil Enquanto isso, os índices de aprovação do presidente passaram de 29% para 30% nesta semana

Os brasileiros estão mais otimistas com a retomada econômica do país. De acordo com dados do Datafolha divulgados neste domingo (8), subiu de 40% – em agosto – para 43% a parcela da população que acredita que a situação econômica do Brasil vai melhorar. Outros 31% dizem que o cenário ficará como está e 24% acreditam na piora.

A pesquisa ouviu 2.948 pessoas em 176 municípios do país entre quinta (5) e sexta-feira (6), dois dias depois que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou o crescimento do  Produto Interno Bruto (PIB) de 0,6% no terceiro trimestre deste ano.

Junto com a expectativa pela melhora financeira do país, os brasileiros também estão vendo com mais otimismo o trabalho da equipe econômica do governo, cuja taxa de aprovação passou de 20% para 25%, assim como a do combate ao desemprego, que foi de 13% para 16% – a taxa de desocupados no país caiu de 11,8% para 11,6% no trimestre encerrado em outubro.

Mesmo assim, segundo o Datafolha, 55% da população acredita que a crise econômica “deve demorar para acabar, e o Brasil não vai voltar a crescer tão cedo”. Outros 37% disseram que a crise “deve acabar em breve, e o Brasil já vai voltar a crescer nos próximos meses”. Apenas 5% afirmaram que a crise já acabou e o país já está em retomada.

Aprovação de Bolsonaro

A pequena retomada da economia trouxe resultados positivos para o presidente Jair Bolsonaro. Depois de uma escalada na sua taxa de reprovação – que passou de 30% para 38% nos primeiros oito meses após a posse -, agora, em dezembro, o número caiu para 36%. Enquanto isso, seus índices de aprovação passaram de 29% para 30% nesta semana.

Entre os que avaliam o governo como ótimo ou bom, 58% são empresários e 44% ganham mais de cinco salários mínimos. A maioria também é moradora da região Sul (40%), evangélica (39%), branca (37%), homem e com ensino superior (35%). Já os que consideram a gestão ruim ou péssima são principalmente adeptos de religiões afrobrasileiras (55%), moradores do Nordeste (50%), indígenas (50%), desempregados (48%), pretos (46%), pobres (43%), jovens e mulheres (41%).

Ainda de acordo com a pesquisa, 43% acham que o governo de Bolsonaro será ótimo ou bom daqui para frente, mas 32% acham que ele será ruim ou péssimo e 22% preveem que seu desempenho será regular nos próximos anos.