Acidente com embarcação deixa dois mortos no Lago de Furnas, em Capitólio 

As vítimas estavam numa chalana que tombou durante o resgate a passageiros que estavam numa lancha à deriva

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2022 15h01 - Atualizado em 19/06/2022 15h08
Joel Silva/Fotoarena/Estadão Conteúdo Local onde Rocha se desprendeu do lado direito da cachoeira em Cânion na represa de Furnas Duas pessoas morreram em acidente na cidade de Capitólio, Minas Gerais

A Associação dos Municípios da Microrregião Do Médio Rio Grande (AMEG) informou neste domingo, 19, que duas pessoas morreram em um acidente com embarcação no Lago de Furnas, em Capitólio, cidade localizada no sul de Minas Gerais. De acordo com o comunicado, as vítimas estavam numa chalana que virou durante o resgate a passageiros que estavam numa lancha à deriva – o incidente aconteceu na noite do último sábado, 18. Apesar de não revelar a identidade dos mortos, o texto diz que os envolvidos são uma mulher da cidade de Paraguaçu (MG) e um homem, de Guarulhos (SP).

Prefeito de Capitólio, Cristiano Silva lamentou o acidente e prestou solidariedade as vítimas. “Nosso respeito as famílias enlutadas neste acidente. Temos trabalhado constantemente para aumentar a segurança na região. Todas as embarcações são obrigadas a fornecer coletes salva-vidas em número suficiente para todos os passageiros e tripulação”, pontuou o prefeito esclarecendo que no momento do acidente vários passageiros usavam o colete. “Em nome de todos os municípios que compõem a AMEG nos solidarizamos com familiares e amigos das vítimas fatais bem como àqueles que escaparam ilesos deste deste lamentável acidente e reafirmamos o compromisso de todos os gestores municipais da região bem como da Marinha do Brasil, sediada em Furnas, de garantir a navegabilidade segura para todos no nosso Mar de Minas”, concluiu o presidente da AMEG e prefeito de Carmo do Rio Claro, Filipe Carielo.

O município de Capitólio ficou marcado nos primeiros dias do ano por conta de uma tragédia. No dia 8 de janeiro, um deslizamento de uma rocha do cânion do Lago de Furnas, uma das principais atrações turísticas da região, levou dez pessoas à morte e deixou vários feridos. Em março, a Polícia Civil de Minas Gerais finalizou o inquérito do caso e comunicou que não houve indiciamentos. Estudos técnicos apontaram que a queda do bloco de rocha no Lago de Furnas se deu como desdobramento de eventos naturais, sem influência da ação humana.