Ajufe: ‘Preocupa a tentativa de pressões políticas na autonomia da PF”

A Associação dos Juízes Federal (Ajufe) viu com ‘preocupação’ o anúncio da demissão de Moro nesta sexta-feira (24)

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2020 13h15
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoO agora ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública do Brasil, Sergio Moro

A Associação dos Juízes Federal (Ajufe) emitiu nota nesta sexta-feira (24) afirmando que “causa surpresa a saída do Ministro Sergio Moro da Ministério da Justiça” e diz ver com “preocupação” as declarações do agora ex-ministro. Moro anunciou sua demissão na manhã desta sexta em coletiva de imprensa.

Durante o discurso, ele alegou que deixava o cargo após sofrer “pressões políticas” para troca do comando da Polícia Federal. “Preocupa, principalmente, que o ministro tenha saído alegando a tentativa de pressões políticas na autonomia da PF, o que é extremamente ruim para o Brasil”, diz a nota.

O ex-juiz federal disse ainda que a exoneração de Maurício Valeixo da diretoria-geral da PF foi uma interferência política do presidente Jair Bolsonaro na corporação e que a promessa de carta branca nas escolhas de nomes que compõem a pasta não foi cumprida pelo presidente.

A nota, assinada pelo presidente da Ajufe, Fernando Mendes, diz que espera que o próximo chefe da pasta “mantenha uma política de Estado, focando nos grandes temas nacionais, como o combate à criminalidade organizada, à corrupção, ao enfrentamento do tráfico de drogas e armas, além de respeitar a autonomia da Polícia Federal.

Confira a nota na íntegra:

“Causou-me surpresa a saída do Ministro Sérgio Moro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública nesse momento de crise. Apesar do ministério não ter relação direta com o trabalho do Poder Judiciário Federal, que é independente, esperamos que o próximo chefe da pasta mantenha uma política de Estado, focando nos grandes temas nacionais, como o combate à criminalidade organizada, à corrupção, ao enfrentamento do tráfico de drogas e armas, além de respeitar a autonomia da Polícia Federal. Preocupa, principalmente, que o ministro tenha saído alegando a tentativa de pressões políticas na autonomia da PF, o que é extremamente ruim para o Brasil.” – Fernando Mendes, presidente da Ajufe