Alfredo Bosi, membro da Academia Brasileira de Letras e professor da USP, morre de Covid-19

Segundo a ABL, docente foi vítima de uma pneumonia associada ao coronavírus; por causa da pandemia, família não fará velório

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2021 15h59 - Atualizado em 07/04/2021 17h29
Julio Alcântara/Estadão Conteúdo/12.11.1992Bosi foi professor da USP e membro da Academia Brasileira de Letras

O professor aposentado da Universidade de São Paulo, crítico literário e membro da Academia Brasileira de Letras Alfredo Bosi morreu na manhã desta quarta-feira, 7, aos 84 anos, com uma pneumonia associada à Covid-19. Ele ocupava a cadeira de nº 12 da ABL desde 2003 e deixa dois filhos: a professora Viviana Bosi e José Alfredo Bosi. Por causa da pandemia, a família não fará velório. “Bosi: um homem de profunda erudição, humanista inconteste, um homem que estudou o Renascimento e que o representou. Realizou uma abordagem nova da cultura do Brasil. Dialética da colonização é um clássico desde o nascedouro”, afirmou o presidente da Academia, Marco Lucchesi, em nota divulgada pela ABL.

Bosi era descendente de italianos e se formou na Universidade de São Paulo em 1960. Após sua graduação, ele estudou por um ano na Itália e assumiu os cursos de língua e literatura italiana da instituição de ensino ao voltar para o Brasil. O acadêmico passou a ensinar literatura brasileira na USP em 1970, trabalhou como vice-diretor e diretor do Instituto de Estudos Avançados e coordenou uma série de comissões na instituição. Ele era casado com a professora Élcia Bosi, psicóloga e idealizadora do programa Universidade Aberta à Terceira Idade, que morreu no ano de 2017.