Anvisa autoriza testes com terceira dose da vacina da AstraZeneca

Estudo clínico será realizado com os voluntários do estudo inicial que já receberam as duas aplicações do imunizante; reforço visa aumentar a proteção contra novas variantes

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2021 09h48 - Atualizado em 19/07/2021 19h28
EFE/EPA/JUNG YEON-JE / ArchivoTambém serão incluídos participantes que estejam altamente expostos à infecção com o coronavírus, como profissionais de saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta segunda-feira, 19, a realização de estudos clínicos para avaliar a necessidade, segurança, a eficácia e a imunogenicidade de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca/Universidade de Oxford. Os testes serão realizados com os voluntários do estudo inicial que já completaram o esquema vacinal de duas doses, com um intervalo de quatro semanas entre as aplicações. A terceira dose será aplicada entre 11 e 13 meses após a segunda dose. O intuito do reforço é aumentar a proteção das vacinas contra novas variantes do coronavírus, que têm preocupado autoridades e especialistas por serem mais transmissíveis.

O estudo aprovado pela Anvisa é de fase 3, controlado, randomizado, simples-cego, ou seja, em que só o voluntário não saberá se tomou uma dose da vacina ou de placebo. O estudo, patrocinado pela AstraZeneca, será realizado somente no Brasil, nos Estados da Bahia (1,5 mil voluntários), Rio de Janeiro (1,5 mil voluntários), Rio Grande do Sul (3 mil voluntários), Rio Grande do Norte (1,5 mil voluntários) e São Paulo (2,5 mil voluntários). Serão incluídos ainda voluntários com idade entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos à infecção com o coronavírus, como profissionais de saúde. Não serão incluídas gestantes ou pessoas com comorbidades. Após o final da pesquisa, todos os participantes do grupo placebo serão convidados a ser imunizados.