Após ataques e caos nas ruas, PM prende sete em Vitória

A PM informou ainda a morte de um adolescente que teria envolvimento com o tráfico na capital. Nesta sexta-feira (14), criminosos armados incendiaram ônibus, fecharam ruas e efetuaram disparos

  • Por Rafaela Lara
  • 14/02/2020 15h45
Reprodução / InternetManhã de terror em Vitória, no Espírito Santo. Criminosos interditaram avenidas e incendiaram ônibus e carros

Nas primeiras horas desta sexta-feira (14), homens armados provocaram pânico nas principais avenidas de Vitória, capital do Espírito Santo. O grupo ateou fogo em ônibus, impediu o tráfego de carros e determinou o fechamento de lojas. De acordo com o delegado-geral, José Darcy Arruda, sete homens foram presos após os ataques. A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Espírito Santo e a Polícia Militar concederam coletiva de imprensa para comentar o caso.

“Acabamos de efetuar a prisão de cinco pessoas que estão sendo ouvidas no DEIC, e mais dois foram presos pela manhã. Estamos concentrando todas as investigações no DEIC, que está trabalhando nisso. Todos foram presos no entorno do complexo da Penha, eles estavam descendo [o morro] e praticando esses crimes”, disse Arruda.

A Avenida Leitão da Silva, uma das mais movimentadas de Vitória, foi fechada pelos criminosos, que incendiaram ônibus, apedrejaram carros e efetuaram disparos. O secretário de Segurança de Pública, Roberto Sá, confirmou a morte de um adolescente de 17 anos. Ele também afirmou que os bandidos não intimidarão os policiais militares que atuam para conter os ataques.

“A PM foi tomando conhecimento e feito o cerco. Tomamos o conhecimento de um carro e um ônibus incendiado no local. A polícia agiu rápido e esta fazendo a contenção e saturação. A policia civil também vai investigar. Esse tipo de ousadia eu conheço bem e há uma operação permanente da PM. As policias estão trabalhando muito. Estamos nas ruas para descobrir as motivações desses atos. Embora possa parecer um ato de menor importância, causa pânico na população”, disse.

O secretário afirmou ainda que a morte do adolescente será investigada pela Polícia Civil. “Tomamos conhecimento de um óbito que deu entrada no Hospital São Lucas, que seria ali da região do São Benedito, Bonfim e Bairro da Penha. Isso será objeto de uma investigação rigorosa. Há informações de que ele tinha envolvimento com o tráfico, mas ainda não sabemos como se deu esse óbito”, afirmou durante a coletiva de imprensa.

O governador do Estado, Roberto Casagrande, já havia se pronunciado na manhã desta sexta, por meio do Twitter, afirmando que os ataques dos bandidos era uma resposta a presença dos policiais nas favelas da cidade. “Bandidos reagem à ocupação da PM nos bairros, mas a polícia atuará com mais força ainda. Já efetuamos prisões de alguns desses criminosos. Essa será a nossa resposta”, tuitou.

De acordo com o coronel da PM, Márcio Sartório, afirmou que há “cercos” no entorno das principais favelas da cidade. Ele classificou o ataque como “terrorista” e com o objetivo de causar “medo na população”.

“É um ataque terrorista, desce uma avenida, tenta apedrejar, incendiar veículo e segue pra outro local. A Polícia Militar, nesse momento, está cercando todo entorno e as áreas comprometidas. Duas aeronaves estão sendo utilizadas e forças de outras regiões estão sendo deslocadas para cá”, disse. Sartório ainda garantiu que todo o perímetro afetado pelos ataques está sob controle da PM e não afetará as comemorações de blocos de Carnaval.

“Temos efetivo mobilizado para isso e o Carnaval do Estado está garantido. Temos viaturas em todo perímetro e o comércio já pode voltar a abrir. Esse modus operandi é para colocar medo na população”, disse o coronel.