Após rumores de demissão, Mandetta diz: ‘Vamos continuar’

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2020 20h53 - Atualizado em 07/04/2020 08h40
Frederico Brasil/Futura Press/Estadão ConteúdoMinistro alertou que a pasta "gosta de críticas construtivas", e não quando elas vem "no sentido de trazer dificuldade no ambiente de trabalho"

Após rumores de que seria demitido pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esclareceu em coletiva na noite desta segunda-feira (6): “Vamos continuar”.

“Hoje foi um dia tenso, complicado, em que muita gente ficou pensando se eu ia ficar ou ia sair. Vamos continuar, porque continuando a gente vai enfrentar o nosso inimigo, o Covid-19. Temos uma sociedade para tentar proteger, eu não vou abandonar”, afirmou Mandetta.

Segundo o ministro, é “muito difícil trabalhar em um sistema que não se sabe ao certo como vai ser o próximo dia ou a próxima semana”. Ele elogiou, ainda, a equipe do Ministério da Saúde e alertou que a pasta “gosta de críticas construtivas”, e não quando elas vem “no sentido de trazer dificuldade no ambiente de trabalho”.

Mandetta se reuniu nesta tarde com Bolsonaro e outros integrantes do governo no Palácio do Planalto. Sobre isso, ele disse que foi um encontro “muito produtivo” e que o governo deve “se reposicionar, com mais união e foco”.

“Vocês que ficaram me esperando para fazer choro, bater panela, vão trabalhar, que é o que deveriam estar fazendo. Se eu deixar o Ministério, vou colaborar muito para qualquer equipe que assuma. Mesmo que o presidente entenda que precisa vir outra equipe, vamos ajudar”, concluiu.

Isolamento

O ministro voltou, também, a defender o isolamento social como medida de proteção e esclareceu que as orientações dos governadores devem ser seguidas, até que se tenha uma previsibilidade sobre a colocação de respiradores e estoques de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Não estamos preparados e nem prontos para uma escalada de casos nas grandes metrópoles. Estamos muito melhores que estávamos, mas não prontos. Esperamos ter paz para poder conduzir”, disse.