Bolsonaro assina GLO para Fortaleza e volta a defender ‘excludente de ilicitude’

  • Por Jovem Pan
  • 20/02/2020 18h15 - Atualizado em 21/02/2020 09h36
Isac Nóbrega/PRJair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que institui Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em Fortaleza no fim da tarde desta quinta-feira (20). A informação foi anunciada pelo presidente ao chegar no Palácio da Alvorada. “Acabei de assinar a GLO para Fortaleza. O governador [Camilo Santana] preencheu os requisitos”, disse Bolsonaro a jornalistas.

Em seguida, o presidente afirmou que o governo precisa do Parlamento para que seja aprovado o excludente de ilicitude, que acabou ficando de fora do pacote anticrime defendido pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Bolsonaro disse que a medida poderia dar amparo aos militares que irão atuar no Ceará durante operações de GLO.

Agentes da Força Nacional já estão no Estado desde o início da tarde desta quinta.

“Deixo bem claro uma coisa, a gente precisa do Parlamento para que seja aprovado o excludente de ilicitude. Minha consciência fica pesada nesse momento porque tem muito jovem de 20 anos de idade que está na missão (da GLO). É uma missão que se aproxima a uma de guerra”, disse o presidente.

“Depois, caso tenha qualquer problema, pode ser julgado por lei de paz. Então, nós temos que dar garantida jurídica, retaguarda jurídica a esses militares das Forças Armadas que estão nessa missão. É irresponsabilidade nós continuarmos fazendo essa operação sem dar essa garantia aos integrantes das Forças Armadas”, declarou Bolsonaro.

Sobre o episódio envolvendo o senador Cid Gomes (PDT-CE), que foi baleado nesta quarta após tentar invadir quartel tomado por policiais amotinados, o presidente disse que “imagens valem mais do que milhões de palavras”.

*Com informações do Estadão Conteúdo