‘Vai chegar nossa hora’, diz Bolsonaro sobre entrada do Brasil na OCDE

Presidente disse ter expectativa de que adesão do País aconteça ‘daqui um ano’

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2019 19h59
Marcos Corrêa/PRSegundo Bolsonaro, Argentina e Romênia "já estavam na frente" na lista

O presidente Jair Bolsonaro demonstrou, nesta quinta-feira (10), tranquilidade quanto à adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), após ter sido divulgado que os Estados Unidos teriam retirado seu apoio.

“Vai chegar nossa hora. Não é ‘chegou vai entrando’. Eles fazem uma seleção que é a conta-gotas, para que o país possa cumprir tudo aquilo que está no estatuto”, explicou o presidente, em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Mais cedo, a agência de notícias Bloomberg havia divulgado que os EUA teriam dado aval à Argentina e à Romênia para entrada no grupo, e não mencionado o Brasil. No entanto, no final desta tarde, a Embaixada dos Estados Unidos declarou que o país mantém o apoio à admissão do Brasil.

Segundo Bolsonaro, a declaração acerca dos outros países é justificável, já que “foi externado mais de uma vez” que estavam na frente do Brasil na lista. “Estavam a Argentina e a Romênia na frente, não queremos torcer para que ninguém fique para trás. É um rodízio entre América do Sul e Europa”, declarou.

Ele disse ter expectativa, ainda, de que a adesão do Brasil aconteça “daqui um ano”.

O apoio americano ao ingresso do País na OCDE foi um dos acordos anunciados durante a visita do presidente a Washington, em março. Sobre isso, Bolsonaro afirmou que o presidente dos EUA, Donald Trump, “concordou imediatamente”, mas que “precisa ter unanimidade”, ou seja, que os outros 35 países que compõem a organização devem concordar.