Bolsonaro pode anunciar hoje novo ministro da Educação; Major Vitor Hugo é ‘reserva’

Segundo Bolsonaro, escolhido para o MEC é de São Paulo; presidente evitou falar o nome do candidato: ‘Todo mundo vai para cima dele’

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2020 13h55 - Atualizado em 07/07/2020 13h59
Marcos Corrêa/PRSegundo Bolsonaro, escolhido para o MEC é de São Paulo; presidente evitou falar o nome do candidato: 'Todo mundo vai para cima dele'

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (7) que gostaria de decidir ainda hoje o nome do novo ministro da Educação. Segundo o presidente, ele é de São Paulo. “Não posso falar porque o mundo cai na cabeça dele, todo mundo vai para cima dele, até o que ele fez quando tinha cinco anos de idade. E ele sabe disso”, afirmou Bolsonaro, que ainda avisou que vai conversar de novo com o escolhido nesta tarde.

Bolsonaro confirmou que o deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO) também é cotado para a vaga. O presidente afirmou que o parlamentar é um bom nome para assumir a pasta, mas ainda está atrás de outros candidatos. Segundo Bolsonaro, uma possível escolha de Vitor Hugo seria criticada pelo fato do congressista ser militar. “Vão cair em cima dele por ele ser major do exército, pessoal acha que tem militar demais no governo”, disse Bolsonaro. O capitão reformado já elogiou o currículo do deputado, que é líder do governo na Câmara. Ele é major do Exército, mestre em operações militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e é formado em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras e em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito, da Universidade Federal do Rio, entre outros títulos.

O novo ministro da Educação será o terceiro empossado no cargo e vai substituir o ex-ministro Abraham Weintraub. Antes dele, Ricardo Vélez Rodríguez estava no cargo. Bolsonaro chegou a escolher o professor Carlos Alberto Decotelli para assumir a pasta, mas magistrado sequer chegou a tomar posse e pediu demissão após a descoberta de inconsistências no currículo dele.

Ainda na entrevista em que confirmou que testou positivo para Covid-19, Jair Bolsonaro elogiou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, também militar, e disse que o fato dele não ser médico não faz diferença. “Muitos criticam o Pazuello por não ser médico. Mas o Serra [ex-ministro da Saúde José Serra], lá atrás, era economista e fez um bom trabalho no Ministério da Saúde”, comparou. “Ele é ruim de imprensa, mas é um excelente gestor para a saúde”, continuou Bolsonaro. O presidente, no entanto, confirmou que Pazuello não será efetivado no cargo.