Cada brasileiro infectado passou o coronavírus para outros 3, aponta pesquisa

Média é maior do que a de países europeus que também foram fortemente impactados pela pandemia; número de mortos no Brasil supera os 90 mil

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2020 12h36
ALEX DE JESUS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDORegião de comércio em Belo Horizonte

Cada brasileiro portador do novo coronavírus infectou outros três durante os primeiros meses da pandemia, informou um estudo divulgado pela revista Nature, uma das mais prestigiadas do meio científico, nesta sexta-feira, 31. Os dados do Ministério da Saúde entre fevereiro e maio apontam que o média básica de reprodução da Covid-19 no Brasil é de 3,1, nível superior ao de outros países que também foram fortemente impactados pela crise sanitária, como a Espanha (2,6), Itália (2,5) e Reino Unido (2,6). A pesquisa foi realizada por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Oxford, entre outras instituições de ensino.

Os pesquisadores compararam o avanço da doença nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Amazonas. Além de possuir um maior potencial de espalhar a doença nos primeiros meses da crise, o estudo apontou que enquanto os países europeus baixaram o a média de reprodução para menos de 1, ou seja, uma pessoa infectada não passa o vírus para a outra, o Brasil continua apresentando aumento de casos. Nesta quinta-feira, 30, o Ministério da Saúde confirmou 57.837 novos casos e outras 1.129 mortes provocadas pela Covid-19. No total, são 91.263 mortos.

“Enquanto a epidemia de Covid-19 no Brasil continua a crescer, os detalhes de seu potencial de transmissão e as características clínicas e epidemiológicas permanecem pouco compreendidos”, informaram os pesquisadores. Apesar de apontar o aumento de casos no país, o estudo informa que as medidas de prevenção adotadas no Brasil foram positivas.  “A transmissão de vírus parece ter caído substancialmente nos estados mais afetados e também na cidade de São Paulo”.