Primeira capital com toque de recolher, Campo Grande torna medida ainda mais rigorosa

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2020 17h04
Júlio Gomes/Estadão ConteúdoO coronavírus tem obrigado as pessoas a mudarem as suas rotinas

Um dia após de o presidente Jair Bolsonaro criticar as ações de governadores e prefeitos pelas medidas de isolamento social devido ao coronavírus, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), assinou decreto ampliando o toque de recolher decretado na capital do Mato Grosso do Sul.

A partir desta quinta-feira (26), todo o comércio e a circulação de veículos e pessoas devem paralisar das 20h às 5h. A medida, no entanto, só vale para quintas, sextas, sábados e domingos. De segunda a quarta, segue a suspensão das 22h às 5h.

A capital sul-mato-grossense foi a primeira do País a decretar a medida, que também suspendeu o transporte coletivo. Conforme o prefeito, a decisão de ampliar em duas horas o confinamento domiciliar deveu-se ao aumento do desrespeito à medida, que ele atribuiu à fala presidencial.

Na noite seguinte ao pronunciamento, o número de denúncias de descumprimento registrado pela Guarda Civil Metropolitana saltou de 270 para 1.100. O prefeito afirmou que aglomerações com mais de 20 pessoas não serão toleradas e que, a partir das 20h, quem estiver na rua sem motivo aceitável será conduzido à delegacia. Os veículos serão apreendidos.

O decreto vigora até 5 de abril, quando a medida será reavaliada. A fiscalização é feita por 55 guardas municipais com o suporte de um drone.

*Com informações do Estadão Conteúdo