Casal Garotinho recebeu R$ 25 milhões em propina, diz MPRJ

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2019 13h56 - Atualizado em 03/09/2019 13h58
Estadão ConteúdoOs ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho foram presos nesta terça-feira (3), alvos da Operação Secretum Domus

De acordo com as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro, os ex-governadores do Estado Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho, sua esposa, receberam o valor R$ 25 milhões em vantagens indevidas pagos pela Odebrecht, como propina. O superfaturamento aconteceu durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita de Campos, entre 2009 e 2016.

Na época, o município de Campos dos Goytacazes acumulava prejuízos no valor mínimo de R$ 62 milhões por conta do superfaturamento das obras da construção de casas populares dos programas “Morar Feliz I” e “Morar Feliz II”.

Ainda de acordo com o Ministério Público, somadas, as licitações ultrapassam o valor de R$ 1 bilhão, custeadas pelos cofres públicos municipais.

O esquema teria sido descoberto após dois executivos da Odebrecht, Leandro Andrade Azevedo e Benedicto Barbosa da Silva Junior, prestarem contas ao MPF em colaboração com a Lava Jato.

Em nota, o MPRJ disse que “para o pagamento dos valores indevidos, a Odebrecht contava com sofisticado mecanismo operacionalizado no âmbito do denominado Setor de Operações Estruturadas” e que “as planilhas extraídas do Sistema Drousys e entregues pelos réus colaboradores indicavam o codinome do beneficiário direto, valor, data do pagamento e, em alguns casos, até mesmo a obra vinculada ao pagamento da quantia.”

Entenda

Os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho foram presos nesta terça-feira (3), alvos da Operação Secretum Domus, deflagrada na capital fluminense e em Campos dos Goytacazes. Eles estavam no apartamento em que moram no Flamengo, Zona Sul carioca.

Outras três pessoas também foram detidas. São elas: Sérgio dos Santos Barcelos, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha.