Ceará já registra 88 assassinatos durante greve de policiais

Desde o início das paralisações, homens encapuzados já invadiram batalhões e depredaram viaturas. A Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) está em vigor no Estado para tentar conter a onda de violência

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2020 15h30 - Atualizado em 22/02/2020 15h35
KLEBER GONÇALVES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOForças de segurança, incluindo o Exército, patrulhando as ruas de Fortaleza (CE), nesta sexta-feira (21)

No quinto dia de motim de policiais militares no Ceará, um balanço divulgado neste sábado (22) pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) mostra que de quarta-feira (19) até 23h59 desta sexta (21) foram registrados 88 assassinatos no estado.

Os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e André Luiz Mendonça (Advocacia-Geral da União) desembarcam segunda-feira (24) em Fortaleza. A comitiva interministerial acompanhará a Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que está sendo realizada para tentar conter a onda de violência. Desde a última quinta, 150 agentes da Força Nacional e 2,5 mil soldados do Exército reforçam a segurança.

Nesta quarta, o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado após tentar invadir um batalhão da PM com uma retroescavadeira.

Investigação

Até agora, o governo do Ceará afastou 167 policiais militares que participam da paralisação. O afastamento por 120 dias e a abertura de processos disciplinares foram divulgados no Diário Oficial do Estado desta sexta. Os agentes investigados ficarão fora da folha de pagamento a partir deste mês de fevereiro.

Os policiais também deverão entregar identificações funcionais, distintivos, armas, algemas, além de quaisquer outros itens que os caracterizem nas suas unidades.

Desde o início da paralisação, na última terça (18), homens encapuzados invadiram quartéis, depredaram e esvaziaram pneus de veículos da polícia. O grupo protesta contra a proposta de reajuste da categoria apresentada pelo governo.

Os processos disciplinares contra os militares afastados serão conduzidos de duas maneiras. Um delas envolve os inquéritos militares que serão julgados pela Justiça Militar. Já os procedimentos administrativos disciplinares serão realizados pela Controladoria-Geral de Disciplina (CGD).

Mortes

As estatísticas de crimes violentos e letais tem novos registros a cada dia. Nesta sexta, foram 37 casos. Os registros incluem casos como homicídio doloso/feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. Na segunda-feira (17), foram registradas três mortes. Na terça-feira (18), cinco. Na quarta-feira (19), 29 casos, e, na quinta (20), foram registrados 22.

*Com informações da Agência Brasil