Cirurgia de Bolsonaro foi realizada ‘sem intercorrências’, diz boletim médico

De acordo com o boletim médico, o presidente está sem febre ou dor

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2020 11h03 - Atualizado em 25/09/2020 11h06
Marcos Corrêa/PRAinda não há informações sobre a alta médica

O presidente Jair Bolsonaro foi submetido, na manhã desta sexta-feira (25), a uma cirurgia de cistolitotripsia endoscópica para a retirada de cálculo da bexiga no Hospital Israelita Albert Einstein. De acordo com o boletim médico assinado pelos médicos Leandro Santini Echenique, Leonardo Lima Borges e Miguel Cendoroglo, o procedimento teve uma hora e meia de duração e aconteceu sem intercorrência — sendo o cálculo totalmente removido. No momento, Bolsonaro está estável — sem febre ou dor. Ainda não há informações sobre a alta médica.

Esta será a sexta cirurgia de Jair Bolsonaro desde 2018. A necessidade da nova cirurgia foi contada pelo chefe do Executivo a apoiadores no Palácio da Alvorada, em 1º de setembro. Bolsonaro disse que estava com um cálculo na bexiga “maior que um grão de feijão. “Esse cálculo aqui é de estimação. Eu tenho há mais de cinco anos, está na bexiga. É maior que um grão de feijão. Resolvi tirar porque deve estar aí ferindo internamente a bexiga”, afirmou na ocasião. No dia anterior à declaração, Bolsonaro havia ido ao serviço médico do Palácio do Planalto.

Desde 2018, Bolsonaro passou por quatro cirurgias em decorrência da facada. A primeira foi feita ainda na Santa Casa de Juiz de Fora, logo após ser atingido por Adélio Bispo em ato de campanha em 6 de setembro de 2018. Depois, o então candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein e passou a ser acompanhado pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo e pelo cardiologista Leandro Echenique. A última cirurgia foi realizada em setembro do ano passado para a retirada de uma hérnia. Bolsonaro ainda realizou no início deste ano uma vasectomia.