Com chegada de insumos, Butantan retoma produção da CoronaVac

Fabricação da vacina estava paralisada desde 14 de maio; entrega da matéria-prima foi impactada por questões diplomáticas envolvendo China e Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2021 11h15
MARLON COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 10/05/2021O Instituto Butantan produzirá mais de 5 milhões de doses da CoronaVac

O Instituto Butantan retomou na madrugada desta quinta-feira, 27, a produção da CoronaVac para a entrega de mais de 5 milhões de doses de vacinas contra Covid-19. Devido à falta de matéria-prima, o Butantan paralisou a produção do imunizante no dia 14 de maio. A China travou a liberação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), ingrediente essencial na produção das vacinas, atrasando a produção da CoronaVac, após uma série de problemas diplomáticos envolvendo o governo brasileiro e o chinês. A expectativa era de que mais 6 mil litros de insumos chegassem ao Brasil no dia 10 de maio, porém apenas 3 mil litros de IFA foram entregues na última terça-feira, 25. A matéria-prima, enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Butantan no desenvolvimento da vacina, passará pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e por um rígido controle de qualidade para que a vacina seja entregue ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). O Instituto Butantan prevê um prazo de 15 a 20 dias para o término da produção. “Em maio, o Butantan chegou a marca de 47,2 milhões de doses entregues ao PNI, cumprindo com o primeiro contrato de 46 milhões firmado em 7 de janeiro com o Ministério da Saúde, e agora trabalha para integralizar as 54 milhões de doses referentes ao segundo contrato, totalizando 100 milhões de vacinas”, diz nota.