Comissão do impeachment rejeita especialistas como testemunhas da defesa

  • Por Estadão Conteúdo
  • 08/06/2016 16h20
Comissão Especial do Impeachment 2016 (CEI2016) realiza reunião para ouvir testemunhas de acusação. (E/D): relator da CEI2016, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG); presidente da CEI2016, senador Raimundo Lira (PMDB-PB); secretário-geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho Foto: Pedro França/Agência SenadoComissão do Impeachment no Senado - Ag. Senado

A Comissão do Impeachment decidiu excluir do rol de testemunhas os especialistas indicados pela defesa, após orientação do relator, Antonio Anastasia (PSDB-MG). A decisão não diminui a quantidade de testemunhas da defesa, apenas exige a substituição.

Anastasia defendeu que algumas testemunhas indicadas pela defesa eram, na verdade, especialistas e pediu que fossem indicadas apenas pessoas com ligação direta aos fatos que são analisados na denúncia. O ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, argumentou que os especialistas têm relação factual com o ocorrido, mas foi vencido pelo plenário, composto em maioria por senadores da base do presidente em exercício Michel Temer.

Anastasia concedeu 24 horas para que a defesa apresente outros nomes para substituir os especialistas que foram excluídos. No total, a defesa poderá indicar até 40 testemunhas, 32 para falar sobre os decretos de créditos suplementares e outras oito para tratar das pedaladas fiscais. Cardozo avisou que, antes de fazer a indicação, irá recorrer ao Supremo.